Investigação de jornais mostram abusos ocorridos nas igrejas Batistas do Sul há mais de 20 anos

Investigação de jornais mostram abusos ocorrido na cúpula das Igrejas Batistas do Sul há mais de 20 anos

Uma investigação de dois jornais do Texas revelou sérios problemas de abuso sexual nas igrejas batistas do sul.

O artigo “Abuso de Fé” , publicado pelo Houston Chronicle e pelo San Antonio Express-News , relata que nos 10 anos desde 2008, “mais de 250 pessoas que trabalharam ou se voluntariaram nas Igrejas Batistas do Sul foram acusadas de crimes sexuais. “

O artigo também afirma que, durante um período de 20 anos, o abuso sexual na Igreja Batista do Sul deixou mais de 700 vítimas.

O artigo começa compartilhando a história de uma mulher que diz que quando tinha 14 anos, seu pastor em Sanger, Texas, localizado a uma hora ao norte de Dallas, a molestou.

Debbie Vasquez diz que foi o primeiro de muitos abusos.

Os jornais estão dizendo que ela ficou grávida depois de um dos estupros quando tinha 18 anos.

Em junho de 2008, o artigo afirma que Vasquez foi a Indianápolis, onde ela e outros pediram que os líderes da Convenção Batista do Sul e as 47.000 igrejas da denominação “rastreassem predadores sexuais e tomem medidas contra congregações que abrigam ou ocultam abusadores”.

De acordo com o artigo , Vasquez queria que eles estudassem as políticas de prevenção implementadas por outras religiões, incluindo a Igreja Católica.

A investigação dos jornais mostra que há 10 anos a denominação “rejeitou quase todas as reformas propostas”.

A CBN News conversou com um dos autores do artigo, o repórter do Houston Chronicle , John Tedesco.

“A criação de um banco de dados levanta algumas questões interessantes sobre quem realmente acompanharia esses casos, quem seria incluído. É uma questão complicada bastante complicada, mas você sabe, por outro lado, que há um problema onde as igrejas Batistas estão contratando caras que realmente não deveriam estar trabalhando nas igrejas“, disse ele.

VEJA TAMBÉM
Para Vaticano, celibato não é causa de abusos sexuais

Os jornais relatam que o alegado abuso sexual na Igreja Batista do Sul não é apenas um problema recente.

Sua investigação mostra que, desde 1998, cerca de 380 líderes e voluntários da denominação “enfrentaram alegações de má conduta sexual“.

O artigo continua dizendo que o número é composto de “aqueles que foram condenados, acusados ??com credibilidade e processados ??com sucesso, e aqueles que confessaram ou renunciaram”.

E também afirma que “mais deles trabalhavam no Texas do que em qualquer outro estado”.

A denominação Batista do Sul iniciou um grupo de estudo de abuso sexual no ano passado para tratar desse assunto – e os líderes foram rápidos em responder à investigação do Chronicle com expressões de tristeza, arrependimento e chamados à ação.

O presidente da SBC, JD Greear, disse que os líderes deveriam ter ouvido as advertências anteriores sobre abuso e prometido usar todos os recursos espirituais e financeiros da denominação para deter os predadores.

Ele também pediu cuidados aos sobreviventes dizendo: “A segurança das vítimas é mais importante do que a reputação dos Batistas do Sul”.

Russell Moore, o porta-voz da política pública da denominação, pediu o discipulado de igrejas que encobrem o abuso, considerando-as “fora de comunhão” com outras igrejas.

Advogada Survivor Ashley Easter tem se manifestado por anos contra o abuso em diferentes igrejas e denominações. Ela espera que mais sobreviventes se apresentem no rescaldo do relatório. 

Eu acho que isso é apenas o começo de um número incrivelmente maior de sobreviventes que vão aparecer nas próximas semanas“, disse ela.


Deixe a sua opinião!

Assine nossa Revista Online Gratuitamente: 

Email:

Nenhum spam garantido