79 crianças presbiterianas são sequestradas aonde missionário foi assassinado

As crianças presbiterianas são sequestradas nos Camarões perto de onde o missionário americano foi brutalmente assassinado em frente da esposa e filho.

169

Orações estão sendo feitas depois que 79 estudantes, juntamente com três membros da equipe, foram sequestrados por separatistas de uma escola presbiteriana em Camarões.

A Associated Press informou que os estudantes, com idades entre 11 e 17 anos, apareceram em um vídeo postado na mídia social pelos sequestradores, que se chamam “meninos de Amba“.

O último incidente no domingo na região de língua inglesa do país aparentemente está relacionado com as tentativas dos separatistas de estabelecer um estado independente nas regiões anglófonas do noroeste dos Camarões.

O vídeo mostra os garotos sendo forçados pelos sequestradores a dar seus nomes e os dos pais.

Os homens armados no vídeo explicam que os estudantes não serão libertados até que seu novo estado “Ambazonia” seja criado.

Nós só vamos libertar vocês depois da luta. Você vai para a escola agora aqui“, dizem os homens.

A escola está localizada em Nkwen, uma vila perto da capital regional, Bamenda, não muito longe de onde o missionário norte-americano Charles Wesco foi assassinado na frente de sua esposa e filho na semana passada.

É lamentável que isso esteja acontecendo, que 79 de nossos filhos e três de seus funcionários possam ser apanhados por terroristas“, disse o governador da região do Noroeste, Deben Tchoffo. “Pedimos aos nossos militares para fazer tudo e trazer de volta as crianças vivas“.

O reverendo direito Fonki Samuel Forba, moderador da Igreja Presbiteriana dos Camarões, disse à BBC News que ele havia conversado com os sequestradores.

Eles não querem nenhum resgate. Tudo o que eles querem é que fechemos as escolas. Prometemos fechar as escolas“, disse Forba.

Esperamos e oramos para que libertem as crianças e os professores“, acrescentou.

Vários sequestros foram realizados na área nos últimos tempos, com outros cinco estudantes retirados da Escola Bilingue de Atiela em 19 de outubro. No entanto, ainda não se sabe quem levou as crianças nesse caso.

Os confrontos envolvendo os separatistas, que argumentam que o sistema escolar dos Camarões suprime os falantes de inglês, levaram a centenas de mortes no ano passado. Milícias em busca de liberdade surgiram em 2017 após a repressão do governo aos protestos em massa relacionados aos desafios enfrentados pelos falantes de inglês no Noroeste e no Sudoeste.

Wesco, pai de oito filhos, que chegou a Camarões em outubro para servir como missionário com sua família, foi morto quando desconhecidos começaram a disparar balas no carro em que ele estava com sua esposa, um de seus filhos e outro missionário.

Wesco, de 43 anos, foi atingido duas vezes e morreu em um hospital de Bamenda, apesar das tentativas de salvar sua vida.

O grupo de direitos humanos Anistia Internacional condenou o último sequestro.

Esses terríveis sequestros mostram como a população em geral está pagando o preço mais alto à medida que a violência aumenta na região anglófona“, disse Samira Daoud, diretora regional adjunta da Amnesty International para a África Ocidental e Central.

O rapto de crianças em idade escolar e professores nunca pode ser justificado. Quem é responsável deve libertar e devolver as vítimas imediatamente.”

Daoud continuou: “Expressamos solidariedade com as famílias dessas crianças e exigimos que as autoridades de Camarões façam tudo o que estiver ao seu alcance para garantir que todos os alunos e funcionários da escola sejam libertados ilesos“.

Em um caso com um eco arrepiante dos seqüestros de 2014 das alunas Chibok na Nigéria, é vital que o governo de Camarões aja rapidamente e decisivamente para reunir essas crianças com seus entes queridos“, acrescentou ela, referindo-se às mais de 200 alunas sequestradas numa cidade cristã pelos radicais islâmicos Boko Haram.

Deixe a sua opinião!