A guerra entre Deus e o homem acabou

Se você viveu muito tempo, pode recordar muitas coisas terríveis que aconteceram neste mundo, incluindo tsunamis e furacões de proporções bíblicas.

Você se lembra de 11 de setembro de 2001? Claro que você lembra. Se você viveu muito tempo, pode recordar muitas coisas terríveis que aconteceram neste mundo, incluindo tsunamis e furacões de proporções bíblicas. E certamente cada um de vocês tem sua própria tragédia individual com a qual você lida ou lidou. Há muita mágoa e dor nesta vida .

As pessoas estão se recuperando dos golpes que receberam e estão tentando entender por que tudo isso acontece. Infelizmente, muitos líderes cristãos não têm sido de muita ajuda. Como um todo, eles disseram que essas coisas são o julgamento de Deus sobre nossos pecados.

Mesmo um tele-evangelista muito conhecido foi citado recentemente dizendo às pessoas que, por terem votado em pessoas de “design inteligente” fora do conselho da cidade, o julgamento de Deus ia atingir sua cidade e que, quando acontecesse, não deveriam clamar a Deus, porque eles merecem o que receberão.

Essa lógica de por que coisas ruins acontecem me entristece, e eu acredito que isso aflige o Senhor também. Está totalmente ausente do motivo pelo qual Jesus veio. Jesus mudou para sempre a maneira como Deus se relaciona com a humanidade. Claro, existem exemplos bíblicos do julgamento catastrófico de Deus sobre o pecado. Mas o maior ato de julgamento de Deus foi quando Ele colocou toda a Sua ira pelos nossos pecados sobre Jesus. Isso sempre satisfez a ira de Deus. Desde então, Deus não tem julgado nossos pecados (2Co 5:19) . Deus não está com raiva de nós. Ele nem está de mau humor.

Veja a alegria dos anjos no nascimento de Jesus em Belém.

Lucas 2: 13-14 diz:

VEJA TAMBÉM
Qual é a sua prioridade?

“E, de repente, houve com o anjo uma multidão da milícia celestial, louvando a Deus e dizendo: Glória a Deus nas maiores alturas e paz na terra aos homens.”

Essa escritura é muito familiar para nós, mas há muitos desentendimentos sobre o que ela está dizendo. Algumas traduções dizem que eles estavam proclamando “boa vontade entre os homens” ou “paz aos homens de boa vontade”. Basicamente, esta passagem foi interpretada para dizer que Jesus estava trazendo paz à Terra entre as pessoas. Não é por isso que esses anjos louvavam a Deus. Se essa interpretação fosse verdadeira, as próprias palavras de Jesus em Mateus 10: 34-36 contradiziam isso. Ele disse,

Não penseis que vim enviar paz à terra; não vim enviar paz, mas uma espada. Pois eu vim para colocar um homem em desacordo contra o pai dele, e a filha contra a mãe dela, e a nora contra a sogra dela. E os inimigos do homem serão os da sua própria casa.

O próprio Jesus disse que Ele não foi enviado para trazer paz na terra entre as pessoas. A paz que os anjos de Lucas 2: 13-14 estavam louvando a Deus era a paz entre Deus e o homem . Eles estavam anunciando o fim da guerra de Deus contra o pecado. A paz agora reina entre Deus e o homem.

Antes da vinda de Jesus, havia ira de Deus contra a humanidade por seus pecados. Não foi ira total. Mesmo no Antigo Testamento, vemos a misericórdia e a graça de Deus. No entanto, a Lei do Antigo Testamento era um ministério de ira (Romanos 4:15 com 2 Coríntios 3: 7 e 9), e os pecados das pessoas eram mantidos contra eles. Mas quando Jesus veio, Deus deixou de guardar os pecados das pessoas contra eles. Isso é exatamente o que 2 Coríntios 5:19 e 21 diz:

VEJA TAMBÉM
Deus, armas de fogo e América se reúnem em igreja de Kentucky

“A saber, que Deus estava em Cristo, reconciliando consigo o mundo, não lhes imputando os seus pecados; e nos confiou a palavra da reconciliação … Pois ele o fez pecado por nós, que não conheceu pecado; para que nos tornássemos a justiça de Deus nele.

A palavra “reconciliação” está falando em fazer a paz. Deus não estava mais nos responsabilizando. Em vez disso, Ele imputou nossos pecados a Jesus, tornando Jesus responsável pelos nossos pecados. Jesus se tornou o que éramos para que pudéssemos nos tornar o que Ele era – a justiça de Deus.

Jesus era como um pára-raios que atraiu todo o julgamento de Deus para Si mesmo. Ele não apenas levou nossos pecados; Ele realmente se tornou pecado (2Co 5:21).

Jesus disse isso em João 12: 27-32:

“Agora minha alma está perturbada; e o que direi? Pai, salva-me desta hora; mas por este motivo vim a esta hora. Pai, glorifica o teu nome. Então veio uma voz do céu, dizendo: Eu os glorifiquei e glorificarei novamente. As pessoas, portanto, que pararam e ouviram, disseram que trovejava: outros diziam: Um anjo lhe falou. Jesus respondeu e disse: Esta voz veio não por causa de mim, mas por sua causa. Agora é o julgamento deste mundo: agora o príncipe deste mundo será expulso. E eu, quando for levantado da terra, todos atrairei a mim.

Muitos pensaram que esta trigésima segunda passagem significa que se Deus é devidamente glorificado em nossa pregação, então Ele atrairá todas as pessoas para Si mesmo. Mas isso não é o que esta passagem está dizendo.

Se você olhar na Bíblia King James Version , observe que a palavra “homens” no versículo 32 está em itálico. Isso significa que não estava no idioma original. Os tradutores colocaram essa palavra em itálico para informar que essa era a adição deles, mas não fazia parte do texto. Se você considerar este versículo em contexto, creio que o Senhor estava dizendo que Ele atrairia todo o JULGAMENTO para Si mesmo. Jesus, como um raio, atraiu todo o julgamento de Deus por todos os pecados da humanidade por todo o tempo para Si mesmo.

VEJA TAMBÉM
Madre Tereza, Gandhi ou o Dalai Lama, Bondosos, Mas Não santos

Todo o assassinato, toda a perversão, todo pecado vil e podre imaginável, toda enfermidade e todas as doenças já conhecidas pela humanidade entraram realmente em Seu corpo físico humano. Isaías 52:14 fala sobre a crucificação de Jesus e diz que Ele foi marcado mais do que qualquer homem a ponto de ser irreconhecível como ser humano.

Isso não poderia acontecer apenas de espancamentos físicos, especialmente porque a Palavra diz que nenhum osso foi quebrado em Seu corpo (Sl 34:20 com João 19:36). Acredito que seu corpo foi completamente desfigurado dos cânceres, tumores, doenças, deformidades e qualquer outra coisa que os seres humanos já sofreram.

Jesus não pediu que o cálice fosse tirado dEle apenas por causa da dor física que Ele sofreria, mas porque Ele não queria se tornar pecado. Ele odiava se tornar o que Ele veio para nos redimir. E a pior parte de todos os sofrimentos de Jesus foi a total rejeição do Pai.

Mateus 27:46 diz:

“E na nona hora, Jesus clamou com grande voz, dizendo: Eli, Eli, lama sabachthani? isto é, meu Deus, meu Deus, por que me desamparaste?

Deus Pai abandonou Jesus para que você e eu nunca nos abandonássemos. Tudo o que você e eu teríamos sofrido, através de bilhões de anos na eternidade – a tristeza, a dor e, pior de tudo, a completa separação da presença de Deus – Jesus experimentou. E Ele experimentou tudo isso por nós. Quando dizemos que Deus está julgando nossos pecados como indivíduos ou corporativamente como nação, estamos anulando o que Jesus fez. Isso seria “duplo risco”.

Alguns de vocês podem não gostar disso, mas é verdade. O pecado não é mais um problema com Deus. É a igreja que fez um grande negócio. Nem os pecados passados, presentes nem futuros podem separar você de Deus. As únicas pessoas que irão para o inferno são aquelas que rejeitaram e rejeitaram o maior sacrifício que já foi feito. No céu, você não responderá pelo seu pecado; Jesus já tem. Você responderá pela sua aceitação ou rejeição de Jesus.

VEJA TAMBÉM
Quando Harry Potter encontra Deus

Você pode estar pensando agora: você está apenas dando às pessoas uma licença para pecar. Bem, parece-me que as pessoas estão fazendo um bom trabalho sem uma licença. O que estou dizendo não vai libertar você para o pecado; ele vai livrá-lo da condenação ea culpa que vem quando você faz pecado.

Continuar no pecado é simplesmente estúpido. Você estará abrindo a porta para Satanás ter uma incursão em sua vida (Rm 6:16). Se você fizer isso, sofrerá as conseqüências naturais do pecado, mas não será por causa do julgamento de Deus. Se você cometer adultério, provavelmente perderá sua família, mas foi você quem causou isso, não Deus.

Desastres naturais são apenas isso – desastres naturais . Vivemos em um mundo corrompido onde coisas ruins acontecem, mas Deus não é a causa delas. Se Ele fosse, por que Ele iria parar em Nova Orleans e na Costa do Golfo da América? Certamente todos nós merecemos o julgamento de Deus. Mas, louvado seja Deus, não conseguimos o que merecemos.

Antes de saber que a guerra tinha acabado, eu costumava dizer: “Se Deus não julgar a América, ele terá que pedir desculpas a Sodoma e Gomorra”. Agora eu digo: “Se Deus julgar a América, ele terá que se desculpar com Jesus. Graças a Deus por Jesus!

por: Pr. Andrew Wommack
traduzido e adaptado por: Pb. Thiago Dearo

Comente

Assine nossa Revista Online Gratuitamente: 

Email:

Nenhum spam garantido