A pena de morte está errada em todas as circunstâncias? Líder evangélico discorda do Papa Francisco

Discordando do Papa Francisco o pastor Moore apontou para os muitos exemplos da Bíblia em que a pena de morte era considerada aceitável, mesmo que se excluísse a Lei mosaica.

O Presidente da Comissão de Ética e Liberdade Religiosa da Convenção Batista do Sul, Russell Moore, expressou discordância com a recente declaração do Papa Francisco de que a pena de morte está errada em todas as circunstâncias.

O Vaticano anunciou quinta-feira que Francisco havia mudado o Catecismo da Igreja Católica para declarar que a pena de morte está errada em todas as circunstâncias, substituindo a posição anterior de que era aceitável em alguns casos.

“A pena de morte é inadmissível porque é um atentado contra a inviolabilidade e a dignidade da pessoa”, afirmou o novo Catecismo, citado pelo Crux.

Em resposta à notícia, Moore escreveu em seu site que, embora concordasse com o raciocínio do papa sobre o valor da vida humana, “não pode concordar com o Papa Francisco que a pena de morte é, em todas as circunstâncias, uma violação do comando para não matar “.

“O papa está fazendo aqui mais do que apenas um argumento prudencial. Ele está aplicando o mandamento contra o assassinato a toda aplicação da pena de morte. Nisso, acredito que ele esteja errado”, escreveu Moore.

Moore apontou para os muitos exemplos da Bíblia em que a pena de morte era considerada aceitável, mesmo que se excluísse a Lei mosaica.

Por exemplo, Moore apontou que no livro do Novo Testamento de Romanos, o apóstolo Paulo falou positivamente das autoridades dominantes “portando a espada” contra os “malfeitores“.

“Alguns argumentaram (sem convicção, na minha opinião) que este ‘suportar a espada’ é poder policial, não pena de morte“, explicou Moore.

“Mas o poder policial, se armado com armas letais, sempre carrega pelo menos a possibilidade da morte do malfeitor. Se isso é sempre e em todos os lugares assassinato, então merece a sanção completa do julgamento moral de Deus.”

Embora expressando seu apoio à pena capital em algumas circunstâncias, Moore também observou que houve momentos em que foi mal utilizado e acrescentou que há “bons argumentos de ambos os lados”.

“Os cristãos podem debater se um Estado deve declarar uma moratória à pena de morte enquanto reforma as práticas injustas de condenação“, acrescentou Moore.

VEJA TAMBÉM
Líder do Hamas: Israel será forçado a evacuar Tel Aviv se houver uma guerra

“Os cristãos podem debater se a pena de morte é eficaz como dissuasão ou se a pena de morte é significativa em um mundo em que os sistemas legais atrasam por anos a aplicação da pena.”

Esta não é a primeira vez que o Papa Francisco manifestou oposição à pena de morte. Em fevereiro de 2016, o pontífice pediu a proibição mundial da pena capital.

“Eu apelo às consciências daqueles que governam para alcançar um consenso internacional para abolir a pena de morte”, afirmou Francisco, citado pela Reuters.  “O mandamento ‘Você não deve matar’, tem valor absoluto e se aplica tanto ao inocente quanto ao culpado.”

Comente

Assine nossa Revista Online Gratuitamente: 

Email:

Nenhum spam garantido