Ammar teve a vida perfeita. Ele tinha uma linda esposa, dois filhos amorosos, uma carreira de sucesso como professor e morava em uma cidade proeminente no Iraque.

Mudei o nome de Ammar para sua proteção, porque ele acabou perdendo tudo para seguir a Cristo.

Uma noite, quando Ammar estava assistindo televisão, mudando os canais, ele descobriu um programa de TV cristão. Intrigado, ele assistiu mesmo que ele e sua família inteira fossem muçulmanos. Ele havia aprendido que ser cristão era errado, mas ouvir o Evangelho despertou seu interesse.

Secretamente, ele continuou a procurar respostas para suas perguntas. Ele visitou igrejas, conversou com diferentes cristãos e, finalmente, participou de uma reunião evangelística. Depois de conversar com um dos pastores de lá, Ammar deu sua vida a Cristo.

Pouco tempo depois, Ammar foi batizado. Mas ele sabia que não podia compartilhar que acreditava com alguém em sua comunidade muçulmana, porque isso poderia ser uma sentença de morte. 

No entanto, a diferença em sua vida era tão aparente que sua esposa finalmente descobriu que ele havia se convertido. Em vez de ter piedade, ela o entregou às autoridades locais.

As autoridades locais prenderam Ammar e espancaram-no diariamente – quase a ponto de morrer – porque ele havia se convertido.  

Quando Ammar foi finalmente libertado, ele estava quebrado, ensanguentado e machucado. Tudo o que ele queria era ir para casa, mas soube que seus sogros haviam pegado sua esposa e dois filhos e os levado embora. Eles também haviam emitido um divórcio oficial entre ele e a esposa.

Ammar não apenas perdeu sua família, mas uma autoridade local entrou em contato com ele e lhe disse que ele tinha 48 horas para reunir seus pertences, deixar a cidade ou ele seria morto. Rapidamente, Ammar fugiu para salvar sua vida.

VEJA TAMBÉM
Vaticano cria ‘muro de silêncio’ sobre abusos, diz ministra alemã

Ammar perdeu tudo quando se tornou cristão: sua casa, sua família, seu trabalho e seu status. Mas ele encontrou tudo o que realmente precisava – um relacionamento com Jesus Cristo.

Agora vivendo em uma nova cidade no Iraque, Ammar está trabalhando em tempo integral no ministério, usando suas habilidades como ex-professor para contar aos outros sobre Jesus Cristo. E apesar de ter sido espancado e abusado, ele não mudaria nada sobre sua história.

3 de novembro é o Dia Internacional de Oração pela Igreja Perseguida . Embora este dia seja para orar por aqueles que sofrem por seu Cristo, também deve ser para celebrar pessoas como Ammar como heróis da fé e nos desafiar a sermos ousados ??em compartilhar o Evangelho também.

Trabalhando na World Help, uma organização humanitária cristã, ouço histórias de crentes perseguidos o tempo todo … e raramente pedem orações para que a perseguição pare. Em vez disso, pedem que oremos para que continuem fortes e que sua fidelidade seja um testemunho vivo para os outros, até para os torturadores!

Vamos homenagear esses homens e mulheres incríveis e corajosos neste domingo

por: Kelsey Campbell

Comente

Participe de nosso grupo no WhatsApp e receba nossas novidades.

Assine nossa Revista Online Gratuitamente: 

Email:

Nenhum spam garantido