Um “enorme anjo guerreiro” protegeu um grupo de cristãos, quando extremistas muçulmanos invadiram o seu local de culto gritando “Allahu Akbar”, determinado a matá-los.

Os cristãos, todos convertidos do Islã, estavam adorando em uma igreja na África Central, quando uma multidão de muçulmanos, irritados com os recentes esforços evangelísticos dos crentes, invadiram a igreja, de acordo com um relatório das Bibles for Mideast, que distribui Bíblias e conduz evangelismo na Ásia, África do Sul e Oriente Médio.

A multidão, brandindo espadas e barras de ferro, gritava “Allahu Akbar” – “Alá é Grande” –  destruindo a igreja e rasgando o telhado do templo. Então, eles se voltaram para os cristãos, determinados a matá-los por sua fé. Um homem esfaqueou o pescoço do pastor com uma grande espada.

De repente, o pastor Musthafa, o líder da igreja, sentiu uma pessoa invisível – que ele mais tarde identificou como um “enorme anjo guerreiro” – puxá-lo para longe da lâmina.

O atacante, incapaz de recuperar sua compostura e objetivo, acabou se ferindo com sua própria espada. Furiosos, os atacantes começaram a bater nos crentes.

Em meio ao caos, fortes chuvas e ventos violentos se formou inesperadamente com trovões e relâmpagos, girando em torno da igreja e área circundante. Grandes gotas de chuva caíam sobre os atacantes como pedras, deixando-os desorientados.

Milagrosamente, os crentes permaneceram secos e protegidos da tempestade – e de repente, todos se deram conta de uma grande nuvem que ofuscava a igreja, protegendo os crentes da chuva. Os cristãos então viram o Senhor Jesus na nuvem, e caíram de joelhos diante Dele. Aterrorizados, os extremistas muçulmanos fugiram, lutando para atravessar a chuva de granizo.

“Em poucos minutos, a chuva terminou e a nuvem desapareceu“, diz o relatório. “Os crentes não podiam deixar de louvar e agradecer ao Senhor – por Sua poderosa proteção contra a perseguição, pelo que parecia certo desastre, e por o terem visto com seus próprios olhos nessa nuvem espantosa”.

FATO: Os crentes são membros da igreja Assembleia de Deus Amoroso (igreja ALG), e estavam a 21 dias em jejum e oração a Deus. Quando buscamos a Deus e consagramos a nossa vida a ELE, o SEU poder é manifesto nos momentos mais difíceis.

O Ministério Bíblias para o Oriente Médio continua seu ministério subterrâneo de distribuir Bíblias em “áreas altamente restritas”, algumas das quais são muito hostis ao cristianismo. Estes incluem Paquistão, Bangladesh, Arábia Saudita e outros estados do Golfo.

A República Centro-Africana ocupa o 34º lugar na World Watch List de 50 países onde é mais difícil ser cristão, de acordo com a Open Doors. A organização cita o extremismo islâmico como a principal fonte de perseguição na RCA, embora os cristãos representem cerca de 50% da população do país.

Open Doors relata que pelo menos três lugares de culto cristãos foram destruídos na capital da nação desde o início do ano. Ainda pior – milhares de cristãos foram deslocados em meio a lutas entre grupos rebeldes, forçando-os a viver em campos de refugiados, onde são expostos a condições “deploráveis”.

No mês passado, os apoiantes de um caudilho muçulmano notório chamado “Big-Man” apunhalaram até a morte o Pastor Jean Paul Sankagui da Eglise du Christ en Centrafrique (ECC) e incendiaram a sua igreja.

Após o ataque inicial, os muçulmanos incendiaram outras duas igrejas na área, a Igreja Apostólica e São Mateus, e também destruíram uma escola local. Segundo a ONU, pelo menos três pessoas morreram e 26 ficaram feridas, incluindo civis e combatentes.

Portal Padom

COMPARTILHE

Deixe seu comentário!