Vítima revela os horrores de uma seita onde o “sexo livre em nome de Deus” era frequente

"Aprendemos que Deus é amor e a maneira de expressar o amor de Deus é através da sexualidade. Nunca conheci nada diferente disso.”

Dawn Watson viveu desde o nascimento com sua mãe e seu irmão no seio de uma seita onde o chamado “sexo livre” era a base principal. Quando tinha 13 anos, conseguiu reunir coragem suficiente e escapar da comunidade “Filhos de Deus”, conhecida como “A Família Internacional”. Watson agora compartilha suas experiências dolorosas para encorajar as vítimas a acabar com esse inferno, informa Daily Mail.

Desde pequena, Dawn começou a ter relações sexuais. Naquela época, a menina não via nada de errado com os homens com quem ela fazia sexo, os chamados ‘tios’. “Quando você é criança, você aprende a escovar os dentes, mas eu aprendi a fazer sexo”, diz ela. Ele também confessa que ela teve que testemunhar, entre outras coisas, fotos de mulheres nuas pregadas em uma cruz. “Eu fui abusado sexualmente, emocionalmente e espiritualmente”.

A seita, de que pelo menos duas personalidades de Hollywood eram membros – Harvey Weinstein e Rose McGowan, recentemente envolvidas em um escândalo de assédio sexual – tinham uma maneira peculiar de atrair novos adeptos e obter financiamento. As meninas eram responsáveis pela realização da “pesca coqueta” da missão, na qual elas eram incentivadas a dormir com homens para conseguir seu objetivo.

Watson continua: “Eles nos diziam que, como mulheres, poderíamos expressar nosso amor servindo aos homens, representantes de Deus. Não havia agressão, já que tudo acontecia em nome de Deus, é por isso que era muito difícil saber que o que eles fizeram comigo estava errado”.

História profana

A seita “Filhos de Deus” foi fundada em 1968 pelo americano David Brandt Berg, filho de um pastor que foi expulso da igreja por ter sido suspeita de pedofilia com seus próprios filhos. Quatro anos depois, já havia 130 ramificações diferentes, mesmo no Brasil, onde Watson viveu.

“Berg tinha muita obscuridade em seu interior, e antes de se tornar um líder do culto, ele já havia abusado de seus próprios filhos, ele também queria ter muitas mulheres, então ele não era bem-vindo na igreja”, diz Watson.

“Os homens eram um perigo para mim”

De acordo com a mulher, o fundador, conhecido como “Pai David”, encorajou mulheres e crianças a passarem tempo com seus “tios”. “Eles nos lavaram o cérebro de tal forma que todos acreditamos que o sexo livre era parte da expressão de amor por Deus, mesmo quando se tratava de crianças muito pequenas, que nem sequer entendiam o que estavam fazendo”.

Watson confessa que nunca conheceu uma figura paterna entre os homens da comunidade com quem ela fez sexo: “Sempre olhei os homens e os ‘tios’ da comunidade como um perigo e queria estar o mais longe possível deles”.

“Então eu preferia o inferno”

A mulher lembra de uma cena dramática na qual ela recebeu tantas chicotadas como parte de uma punição, que sua perna estava completamente ferida. “Eu fui ver minha mãe e perguntei: é esse amor?”

Watson sentiu-se tão oprimida que aos 13 anos decidiu sair, pulando pela janela, da casa onde viviam os membros da seita. “Se o mundo exterior fosse um lugar tão terrível como eles disseram e se Deus quisesse me matar, eu iria para o inferno, eu não me importava mais”.

Watson deixou sua mãe e seu irmão. Então ela vagou por três anos, morando nas casas de outros que também fugiram da seita. Quando tinha 15 anos, no entanto, ela foi estuprada, o que ela recorda como um dos momentos mais dolorosos de sua vida. “Depois disso liguei para minha mãe, e ela finalmente teve a coragem de deixar a seita também”.

Nova vida

Anos depois, Watson fundou sua própria organização sem fins lucrativos, com a intenção de ajudar as vítimas a avançar. “Aqueles que sofreram uma grande dor emocional podem vir até mim”. A seita cristã sobrevive hoje sob o nome de ‘A Família Internacional’.

Neste momento, é dirigida por Karin Zerby, a segunda mulher com quem o pai David se casou.

O que diz o site oficial dessa instituição?

Em seu site oficial, a instituição Família Internacional é descrita como:

“A Família Internacional (AFI) é uma comunidade cristã online formada por indivíduos dedicados a disseminar a mensagem do amor de Deus em todo o mundo. Fundada na Califórnia no final da década de 1960, expandiu-se em uma organização internacional com membros em mais de 80 países.

AFI é uma rede de indivíduos com visão global e foco local. Temos o compromisso de tornar nosso mundo melhor, o que realizamos pela instrumentalização dos indivíduos para o desenvolvimento de um relacionamento pessoal com Deus, para que possam mudar suas respectivas partes do mundo. Há quatro décadas, membros AFI têm trabalhado em obras missionárias e sociais em mais de 95 países.”

No mesmo site, existe uma seção aonde eles descrevem suas crenças dizendo:

“A Família Internacional (AFI) é uma rede cristã internacional dedicada à difusão da mensagem do amor de Deus em todo o mundo. Acreditamos que todos podem ter um relacionamento pessoal com Deus por meio de Jesus Cristo, que proporciona alegria, paz de espírito, a motivação para ajudar os outros e para divulgar as boas novas do Seu amor. De um modo geral, nossas crenças fundamentais são as mesmas abraçadas pelos demais cristãos em todo o mundo. Temos também algumas doutrinas não tradicionais. Uma característica que define nossa maneira de viver e nossa fé é a forma como aplicamos o princípio da Lei do Amor de Deus que, ensinou Jesus, se encerra em dois mandamentos, dos quais dependem “toda a lei e os profetas” (Mateus 22:37–40)”

Sobre a sexualidade, o site descreve dizendo:

“Acreditamos que Deus tenha criado a sexualidade humana e a consideramos uma necessidade natural física e emocional. A Bíblia relata que Deus ordenou ao primeiro homem e à primeira mulher: “Frutificai e multiplicai-vos; enchei a Terra” (Gênesis 1:28). E “viu Deus tudo o que tinha feito —o que claramente incluía o primeiro homem, a primeira mulher, seus corpos e sua sexualidade — “e que era muito bom” (Gênesis 1:31).

Acreditamos que o relacionamento heterossexual praticado conforme Deus ordenou e orientou, ou seja, por adultos que optem livremente por isso, seja puro, uma maravilha natural da criação de Deus e permitido pelas Escrituras.

Gênesis 1:26–28; Gênesis 2:18–25; Tito 1:15; Romanos 13:20; Gálatas 5:22–23”

No site da instituição também a um artigo interessante (ver) sobre o que eles acham sobre as crianças, bem diferente do que essa vitima descreveu… No entanto resta saber se isso é verdade ou mentira.

Portal Padom

Assine nossa Revista Online Gratuitamente: 

Email:

Nenhum spam garantido

Deixe sua opinião abaixo:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.