O Estado Islâmico (ISIS), condenou uma mulher a morte em Al-Shajara, na Síria, uma cidade que ainda controlam na parte sul do país. Embora viva com o marido, o grupo terrorista a acusou de adultério.

Abu Mohammed, que vive em Al-Shajara, relatou as circunstâncias de sua morte, bem como o chicoteamento de dois jovens para o jornal Al-Araby Al-Jadeed : “O exército de Khalid ibn al-Walid, uma organização ISIS, invadiu uma casa há cinco dias atrás, disparando e prendendo todas as pessoas dentro. [Mais tarde], na praça principal, o ISIS apresentou dois jovens e uma mulher que estavam na casa, dizendo que todos foram presos por adultério. Eles feriram a mulher até a morte porque ela era casada e os jovens foram chicoteados, cada um deles 80 vezes sem piedade porque eles são solteiros”.

O marido da mulher estava na casa quando os terroristas do ISIS invadiram, mas conseguiu fugir e chegar a uma área controlada pelo Exército Sírio Livre. As pessoas da cidade haviam sussurrado para o ISIS que o adultério estava acontecendo lá. O Estado Islâmico trouxe essas pessoas como testemunhas para testemunhar por que invadiram o apartamento.

As fontes da mídia dizem que o marido da mulher era um antigo lutador desta mesma organização ISIS.

Enquanto isso, quatro dos mais cruéis executores do Estado Islâmico foram capturados recentemente.

Ahmed ben-Nassar foi capturado e executado na Líbia. Nassar, um membro sênior do ISIS, foi chamado de “o açougueiro do ISIS” e era conhecido por ser um dos terroristas mais bárbaros, desfigurando aqueles que ele matava, cortando seus ouvidos e narizes e arrancando os olhos.

As forças de segurança no sul da Turquia prenderam três outros assassinos do ISIS que entraram ilegalmente no país.

Deixe seu comentário!