anuncios
Internacional

Cristão iraquiano sobrevive sendo queimado vivo pelo Estado Islâmico 3 vezes: ‘[Jesus] falou comigo’

'Eles me queimaram, mas eu não queimei': cristão iraquiano atacado pelo Estado Islâmico recorda a sobrevivência milagrosa

Um cristão iraquiano compartilha sua história de ser preso pelo ISIS, no qual eles tentaram queimá-lo vivo por três vezes, mas seu corpo não queimou. Sua história é de um próximo documentário chamado "Heart and Hands: Iraq", de Sean Feucht, com seu trabalho através do Light A Candle Project.
anuncios

O músico e missionário, Sean Feucht, membro da Bethel Music, lançou um teaser de seu próximo filme “Heart and Hands: Iraq” (Coração e Mãos: Iraque). O clipe mostra um homem yazidi contando como o Espírito Santo o protegeu de ser queimado vivo por terroristas do Estado Islâmico.

Durante o extraordinario relato, filmado fora de um campo de refugiados, o homem não identificado disse que Jesus Cristo apareceu para ele duas vezes em seus sonhos.

Ele falou comigo“, disse o homem com confiança: “Perguntei a Jesus uma coisa e Ele me respondeu. Cristo me resgatou.

anuncios

O homem, em seguida, recordou sua experiência terrível com militantes do Estado Islâmico, explicando que ele foi espancado e quase queimado vivo quando o jihadi descobriu que ele seguia Jesus Cristo. Surpreendentemente, apesar de enfrentar um ataque tão brutal, ele saiu do outro lado completamente ileso.

“Eles estavam me batendo com grandes blocos em meu corpo”, explicou o homem, acrescentando que “as pedras não estavam lhe machucando”.

“Da última vez, eles me encharcaram com 20 litros de gasolina”, continuou ele.

“Eles me queimaram, mas eu não queimei.”

No final da conversa, o tradutor de Feucht orou pelo homem, pedindo ao Senhor pela “completa cura divina em seu corpo, alma e espírito”.

“Por Deus, eu amo vocês de todo o coração”, respondeu o homem yazidi.

O documentário de Feucht foi produzido em parceria com seu projeto sem fins lucrativos, Light a Candle Project, que “existe para trazer esperança e mudança sustentável nos cantos mais escuros do mundo”, segundo o site.

“Não temos medo dos lugares mais sombrios”, observa a organização, prometendo ir e compartilhar o evangelho nos lugares mais perigosos da Terra, “a luz brilha nas trevas e as trevas não a superam”.

VEJA TAMBÉM
Menor de 16 anos quer mudar de sexo

“Eu sinto que somos realmente chamados para os lugares mais perseguidos, fechados, escuros e marginalizados”, disse Feucht à Fox News. “Nossa equipe está no Iraque agora, e o Departamento de Estado dos EUA acabou de enviar esta notificação que dizia: ‘Todo o pessoal dos EUA deixe o Iraque’ e todas as ONGs foram embora, mas nossos rapazes ainda estão lá. Nós estávamos lá através do ISIS. Nós estivemos lá durante o pior dos piores. ”

“Todos pensaram que éramos loucos”, acrescentou ele. “Assim que todos estavam saindo, chegamos e, por causa disso, temos um próspero e próspero projeto lá. Queremos redefinir as missões de uma geração para as quais somos os primeiros a responder. Essa é a essência do evangelho para entrar em lugares onde ninguém está disposto a ir. ”

Comente

Assine nossa Revista Online Gratuitamente: 

Email:

Nenhum spam garantido

anuncios