Cristãos indianos temem que a perseguição seja considerada normal

Muitos cristãos temem que a perseguição possa ser o novo normal, já que os radicais hindus foram autorizados a atacar cristãos com impunidade.

india primeiro ministro perseguição cristãos
O primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, foi instado a combater o extremismo religioso.

Os cristãos indianos sofreram pelo menos 15 ataques durante a última quinzena, de acordo com a International Christian Concern.

Os incidentes incluem conversões forçadas longe do cristianismo, falsas acusações de conversões forçadas ao cristianismo, agressões físicas e demolição de igrejas.

Entre os incidentes relatados pelo ICC, em 6 de julho, seis cristãos foram convertidos à força para hinduísmo no distrito de Kunti, no estado indiano de Jharkhand. No mesmo dia, seis famílias cristãs de um vilarejo perto de Ranchi, capital de Jharkhand, receberam um ultimato para se retratar de sua fé cristã no dia 15 de julho ou enfrentariam “graves consequências“.

Em 8 de julho, radicais hindus atacaram um pastor, sua esposa e três outros cristãos em uma sala de orações na aldeia de Paguthampalayam, localizada no sul do estado de Tamil Nadu. Segundo os cristãos locais, os agressores também despiram a esposa do pastor. Após o ataque, quatro dos cristãos foram presos pela polícia depois que os radicais apresentaram queixas policiais contra eles.

Em 15 de julho, uma família cristã foi socialmente boicotada na vila de Kotetharaa, localizada no distrito de Janjgir-Champa, no estado de Chhattisgarh. Disseram aos aldeões hindus que teriam que pagar uma multa de 10 mil rupias se fosse pegos conversando com a família cristã.

Também em 15 de julho, uma igreja foi atacada durante um culto em Rajendra Nagar, localizado perto de Raipur, no estado de Chhattisgarh. Os agressores espancaram homens, mulheres e crianças que compareceram ao culto da igreja. Os cristãos foram ainda mais atacados na delegacia de polícia por uma multidão de radicais hindus.

VEJA TAMBÉM
Cristãos se escondem em florestas após menina ser acusada de blasfêmia

De acordo com o ICC, os incidentes demonstram um “crescente sentimento anticristão” na Índia.

O dr John Dayal, presidente do United Christian Forum, disse: “Nós [cristãos] estamos cada vez mais preocupados com os desenvolvimentos políticos, sociais e econômicos em nosso país que podem fraturar se não irremediavelmente, os próprios fundamentos da democracia condicional”.

William Stark, gerente regional da ICC, disse: “Todos os dias, novos relatos de perseguição chegam do que parece ser de cada canto da Índia. Muitos cristãos temem que isso possa ser o novo normal para sua comunidade, já que os radicais hindus foram autorizados a atacar cristãos e outras comunidades minoritárias com impunidade. A Índia deve tomar medidas concretas para contrariar esta onda de intolerância e violência. Até lá, os ataques provavelmente continuarão aumentando em número e gravidade.”

Portal Padom

Comente

Participe de nosso grupo no WhatsApp e receba nossas novidades.

Assine nossa Revista Online Gratuitamente: 

Email:

Nenhum spam garantido

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui