Dawah: um misterioso movimento islâmico que se expande ‘silenciosamente’ pelo Oriente Médio

Noticias gospelO movimento islâmico Dawah, tem atraído milhões de jovens com sua pregação pacifista. O Ocidente não o considera uma ameaças, e inclusive acredita que pode ser uma esperança para enfraquecer o Estado Islâmico (EI). No entanto, algumas vozes ainda alertam sobre sua eventual perigosidade.

Com o preceito de que a religião “não é apenas rezar”, mas também exige “ação”, os líderes da ordem ultraconservadora Dawah tem conduzindo um rebanho de seguidores para melhorar a percepção que o mundo tem sobre o Islã. Com este objetivo e pregação e a política, já atraiu mais de 50 milhões de pessoas em mais de 200 países, de acordo com o site The Christian Science Monitor.

noticias-gospel-dawah-islamico-estado-islamicoO crescimento da Dawah e o atrativo para os jovens do Oriente Médio se baseia no vazio que deixaram a Irmandade Muçulmana no Egito (onde tem mais de 300 mil adeptos) e o caos gerado pelos jihadistas na Síria e Iraque. Em todas essas terras, este movimento tem se expandido e ganhado milhões de adeptos ao apresentar-se como uma alternativa para a políticas do ódio.

No entanto, sua evolução levanta algumas dúvidas, continua o portal. Uma delas é se esse movimento que rejeita a vida moderna, não tem website, nem redes sociais e considera a música secular e a televisão como fontes de corrupção, poderá cumprir as suas promessas. Além disso, se você pode romper com as práticas de extremistas do Islã e impor sua pregação, que rejeita a ódio a outras religiões e as pessoas, já que considera que somente quando o mundo islâmico estiver espiritualmente unido podem curar seus males.

Por tudo isto, os analistas Dawah estão divididos entre aqueles que realmente acreditam que é uma ordem de não-violenta que poderia servir como um antídoto para EI e aqueles que pensam que ela representa outra advertência de que o Ocidente deve se preocupar.

VEJA TAMBÉM
‘Se Deus existe, não deveria haver inferno, guerra ou pobreza’, diz Duterte presidente das Filipinas

Por que as dúvidas?

Alguns casos poderiam justificá-las: por exemplo, Mohammad Sidique Khan, organizador dos atentados em Londres, em 2005, rezaram sob os preceitos da Dawah em uma mesquita no nordeste da Inglaterra. Além disso, John Walker Lindh, um americano que lutou pelo Taliban, participou de reuniões do Dawah nos EUA, onde teriam cerca de 50.000 seguidores.

Em resposta, o site continua, as autoridades da Dawah afirmam que essas pessoas romperam os princípios de sua fé, que promove o amor e a oração conquistaram tudo, e não representam o movimento. Talvez por isso ainda não seja uma grande preocupação do mundo ocidental.

O que você acha disso? Será essa vertente islâmica um outro perigo que está surgindo sorrateiramente no mundo? Deixe a sua opinião abaixo!

Portal Padom

Comente

Assine nossa Revista Online Gratuitamente: 

Email:

Nenhum spam garantido