Depois de esperar mais de duas décadas, as igrejas no Egito podem finalmente reconstruir suas casas de culto, de acordo com o World Watch Monitor.

Na região rural do sul do país, em uma área conhecida como governança da Minya, o governador deu sinal verde a 21 igrejas para reconstruir e expandir.

Alguns analistas apontam para o fato de que as licenças vieram antes de várias visitas de delegações internacionais de evangélicos ao Cairo.

Os líderes evangélicos se encontraram com o presidente do Egito, Abdel Fattah el-Sisi, como parte da celebração do 500º aniversário da Reforma Protestante em novembro.

Em um artigo recente, o presidente do Conselho de Pesquisa da Família (Family Research Council) , Tony Perkins, escreveu: “… O presidente Abdel Fattah el-Sisi está fazendo todo o possível para garantir que o Egito não recue da promessa de ajudar comunidades de fé A decisão é irrefletida em algumas áreas, onde as igrejas foram fechadas para ajudar a “aliviar as tensões” com os muçulmanos “.

Em outros lugares, é um ato de desafio contra as ameaças crescentes do ISIS”, continuou o artigo.

World Watch Monitor disse que uma fonte local disse aos jornalistas que o presidente do Egito quer “mostrar aos Estados Unidos que o Egito está de pé com os cristãos e que não há perseguição na governança da Minya”.

Cristãos coptas experimentaram sua parte da perseguição nessa área, com igrejas fechadas ou queimadas.

Além disso, é extremamente difícil para os cristãos no Egito obter uma licença para construir uma igreja, de acordo com o World Watch Monitor. No entanto, no ano passado, as coisas começaram a mudar quando o parlamento egípcio aprovou uma lei que envolveu a construção e restauração de igrejas.

Então, em outubro, um comitê do gabinete começou a trabalhar para legalizar igrejas que não possuíam licenças, informou a mídia.

“Ninguém que se encontrou com o presidente El-Sisi em nossa delegação no Cairo no mês passado duvidaria do seu compromisso com uma maior liberdade religiosa em sua terra”, escreveu Perkins e seu time.

E o Conselho de Pesquisa Familiar convida o governo dos EUA a fazer todo o possível para reforçar o progresso da liberdade religiosa no Egito e no Oriente Médio.

“O primeiro passo seria que o Senado confirme o candidato do presidente Trump para embaixador da liberdade religiosa, o governador Sam Brownback”, escreveu a equipe do Conselho de Pesquisa em Família . “Temos uma janela de oportunidade com governos como o presidente Sisi. Agora é o momento de avançar”.

Deixe seu comentário!