É pecado querer morrer e ir para o céu?

É pecado um cristão desejar a morte para estar no céu com Cristo?

Embora o desejo de estar em casa com o Senhor no Céu não seja um pecado, é importante que os cristãos andem pela fé e com confiança nas promessas de Deus em meio a dores e sofrimentos terrestres, disse o teólogo John Piper.

Em um recente podcast, Piper, chanceler do Bethlehem College & Seminary em Minneapolis, Minnesota, respondeu a um ouvinte identificado como Marissa, que perguntou se era errado desejar a morte como uma fuga da dor deste mundo e do sofrimento causado a ela por sua própria pecaminosidade.

Tenho 31 anos e minha vida está arruinada“, escreveu ela. “Eu temo o resto da minha vida. Por causa do pecado, eu perdi todo mundo que eu mais amo (e eu quero dizer todo mundo). Eu sinto que minhas escolhas muito ruins não podem ser redimidas enquanto estiver aqui na terra, mesmo que eu tenha me arrependido e confessado meus pecados. ”

Piper explicou pela primeira vez que a resposta bíblica geral é que não é um pecado desejar o Céu e a presença de Cristo com um sentimento de desânimo pelo pecado e tristezas deste mundo e de nossas próprias vidas.

Na verdade, eu diria que quanto mais se sabe da real condição deste mundo, e quanto mais se entristece com a corrupção remanescente de nossos próprios corações, mais natural é desejar o Céu e Cristo”, disse ele.

Ele apontou para as palavras do apóstolo Paulo em Filipenses 1:23–26: “Estou pressionado dos dois lados: desejo partir e estar com Cristo, o que é muito melhor; contudo, é mais necessário, por causa de vocês, que eu permaneça no corpo. Convencido disso, sei que vou permanecer e continuar com todos vocês, para o seu progresso e alegria na fé, a fim de que, pela minha presença, outra vez a exultação de vocês em Cristo Jesus transborde por minha causa.

Em geral, desejar estar em casa com o Senhor não é pecado. É bíblico e é saudável”, disse Piper. 

No entanto, ele esclareceu que a razão pela qual ele disse que é a resposta geral “é que eu posso imaginar uma situação em que seria um pecado querer morrer e ir para estar com Jesus”.

Piper argumentou que nas Escrituras, Paulo desejava estar com Jesus, mas sabia que ainda não era a vontade de Deus para ele.

Ele tomou isso da mão de Deus com a confiança de que Deus lhe daria a força e a graça para a vida que não era sua primeira escolha”, explicou ele. “Quanto à vida que ele iria viver enquanto permanecesse na terra, ele disse: ‘Sei que vou permanecer e continuar com todos vocês, embora minha primeira escolha seja ir e estar com o Senhor’ (ver Filipenses 1:23-25 ).

A chave, disse Piper, é encontrada em 2 Coríntios 5, onde Paulo diz: “Nós andamos pela fé e não pela vista” (2 Coríntios 5:7). Ele encorajou Marissa a entender que a “ruína e medo que você vê na sua frente pelo resto de sua vida não é, de fato, realidade”.

Pelo menos, não precisa ser“, disse o pastor. “Jesus está chamando você, Marissa, para andar pela fé e não pela vista. Eu concordo com o que você pode ver com os olhos da sua cabeça que o futuro parece sem esperança, terrível, aterrorizante, irrecuperável. Isso é verdade. Isso acontece. Mas não é assim que você tem que viver.

O apóstolo Paulo sabia que o resto de sua vida seria cheio de tristeza e dor, disse Piper, acrescentando: “Ele seria morto por Cristo no meio das aflições, não no meio do conforto. Foi o que ele viu com os olhos da carne, mas com os olhos da fé, viu milagres acontecendo nele e através dele.

Piper ofereceu a lembrança de que as promessas de Deus para Seu povo são encontradas em toda a Escritura, inclusive em Isaías 56:5 : “a eles darei, dentro de meu templo e dos seus muros, um memorial e um nome melhor do que filhos e filhas, um nome eterno, que não será eliminado.

Sim, Marissa, anseia pelo céu, por muito tempo, por Cristo, anseia pelo dia em que não mais pecaremos”, concluiu ele. “Mas confie em Suas promessas agora, como Paulo, quando enfrentou um futuro doloroso e andou pela fé, não por vista. A promessa de Deus para você é fruto em meio a essa tristeza ”.

Segundo os Centros de Controle e Prevenção de Doenças , o suicídio foi uma das principais causas de morte em 2017. A taxa geral de suicídio cresceu quase 30% nos últimos 15 anos, levando alguns a chamá-la de uma nova crise de saúde pública.

À luz dessa realidade preocupante, vários pastores e líderes da Igreja se debruçaram sobre a questão da doença mental, do suicídio e da vida após a morte nos últimos anos.

O pastor da Igreja de Saddleback, Rick Warren, que perdeu seu filho para o suicídio em 2013, encorajou os que lutam contra a ansiedade e a depressão a lembrar que o foco no Céu coloca o sofrimento em perspectiva.

Ele citou 1 Coríntios 2: 9: “Nenhum olho viu, nenhum ouvido ouviu, e nenhuma mente imaginou o que Deus preparou para aqueles que o amam.”

“Quando você começa a se concentrar em verdades como essa, todos os seus problemas parecem inferiores em comparação com a glória, a alegria e o prazer das coisas que nos esperam na eternidade”, disse ele. “Peça a Deus para ajudá-lo a fazer a escolha todos os dias para se alimentar da Palavra de Deus, libertar sua mente de pensamentos destrutivos e encher sua mente com Jesus, com os outros e com a eternidade. Então você terá vencido a batalha.

Comente

Assine nossa Revista Online Gratuitamente: 

Email:

Nenhum spam garantido