Pela primeira vez na história, uma cópia do manuscrito original em grego foi descoberta de um texto – considerado como herético – que recolhe os ensinamentos secretos de Jesus Cristo para o seu “irmão” Tiago, informa Science Daily.

Até agora, apenas um pequeno número de textos da biblioteca de Nag Hammadi – uma coleção de 13 livros gnósticos em coptas datados dos séculos 2 a 4 que foi descoberto no Alto Egito há mais de 70 anos – foi encontrado em Grego, seu idioma original.

Los investigadores de la Universidad de Texas Geoffrey Smith y Brent Landau han ampliado ahora esta serie con varios fragmentos originales del Primer Apocalipsis de Santiago, del que se creía que solo se conservaba su traducción al copto.

Os pesquisadores da Universidade do Texas, Geoffrey Smith e Brent Landau, expandiram agora  esta série com vários fragmentos originais do Primeiro Apocalipse de Santiago, que se acreditava ter conservado apenas à sua tradução copta.

“Dizer que ficamos entusiasmados quando percebemos que o que descobrimos é pouco, nunca suspeitamos que fragmentos gregos do Primeiro Apocalipse de Santiago tenham sobrevivido desde tempos antigos”, disse Smith.

Esta narrativa antiga, não incluída no cânon cristão, recolhe as revelações de Jesus ao apóstolo Tiago, a quem ele se refere freqüentemente como “irmão”, sobre o reino celestial e eventos futuros, incluindo a inevitável morte do discípulo. Segundo Smith, esses ensinamentos “permitiram que Tiago se tornasse um bom professor após a morte de Jesus”.

Pontos estranhos

O manuscrito, que data entre os séculos V e VI apresenta uma seqüência estranho pontilhada, que são muito raro no texto da época.

Estes pontos dividem grande parte do texto em sílabas, algo que sugere um propósito de ensino e de que este foi usada por um professor para ensinar os alunos leitura e escrita.

“Esta nova descoberta é significativa também porque demonstra que os cristãos seguiam lendo e estudando as escrituras não canônica muito depois que os líderes cristãos a qualificaram de herética”, explicou Smith à revista Newsweek.

O primeiro Apocalipse de Santiago está entre os manuscritos apócrifos que não foram reconhecidos como Evangelhos bom, por Atanásio, bispo de Alexandria, que dirigia no século IV as conversações sobre que documentos deveriam ser incluídos no novo Testamento.

Estes códices em papiro selado em um frasco de cerâmica foram enterrados há 1.400 anos perto da cidade egípcia Nag Hammadi e descobertos por um camponês 1945.

Deixe seu comentário!