Estado Islâmico assume autoria do massacre na Califórnia

O grupo terrorista Estado Islâmico (EI), reivindicou a autoria do tiroteio em massa em San Bernardino, que aconteceu no último dia 2 de dezembro e deixou pelo menos 14 mortes, segundo informou a Reuters.

A agência de notícias Aamaq, afiliada do Estado Islâmico, publicou um comunicado do jihadistas em que assumem a autoria deste massacre.

O Escritório Federal de Investigações dos Estados Unidos, FBI, anunciou nesta sexta-feira que o tiroteio que aconteceu em San Bernardino, esta semana e está sendo investigado como um ato terrorista. Um porta-voz do FBI, também observou que havia uma pessoa que ajudou os atacantes a comprar os rifles usando no massacre.

O atacante Califórnia jurou fidelidade a terroristas

noticias-gospel-estado-islamico-assume-massacre-californiaFoi relatado anteriormente que um dos atacantes, Tashfeen Malik havia jurado lealdade ao líder do EI no mesmo dia em seu marido Syed Farook e ela mataram 14 pessoas em San Bernardino, Califórnia. Malik, 27 anos jurou fidelidade ao EI através de uma mensagem no Facebook, segundo informou a CNN, citando uma fonte do governo norte-americano.

Ao mesmo tempo tem relatado que Washington não tem provas do envolvimento do EI no tiroteio em massa na Califórnia, mas os agressores poderiam simpatizar com as ideias dos jihadistas, de acordo com a fonte insistiu. Por seu lado, a Casa Branca não confirmou nem negou a informação divulgada.

Obama não acredita que o Estado Islâmico represente uma ameaça vital para os EUA

Enquanto isso, Barack Obama, declarou que os terroristas do EI não representam uma ameaça vital para o país. “O Estado islâmico não será uma ameaça vital para nós. Eles são uma organização perigosa como Al Qaeda, mas fortalecemos a nossa defesa. Nosso país nunca foi tão protegido como agora“, disse o presidente em uma entrevista à CBS.

O presidente dos EUA ressaltou que seu país tem impedido muitos ataques, mas, ao mesmo tempo, ele admitiu que a ameaça é real e apelou para manter-se alerta e vigilante.

Apesar da convicção do Presidente sobre a proteção de seu país diante os terroristas e as ameaças dos jihadistas contra o EUA, eles estão mais alarmantes do que nunca.

Portal Padom

Comente

Assine nossa Revista Online Gratuitamente: 

Email:

Nenhum spam garantido