Vocês lembram do ladrão que estava ao lado de Jesus durante a crucificação? Sim, o mesmo que pediu ao nosso Senhor por misericórdia, Jesus disse: “Em verdade vos digo: hoje estarás comigo no paraíso.” A lei romana o condenou à morte por seus crimes, mas em seus últimos suspiros, sua eternidade teve uma mudança abrupta quando entregou a sua vida a Jesus Cristo o rei. O mesmo parece ter acontecido com um preso nos Estados Unidos, ele alegou ter sido transformado pelo poder do evangelho, e morreu falando em línguas ao ser executado.

O preso Kenneth Williams disse: “Quanto às minhas últimas palavras… não é que eu creia que uma pessoa pode falar suas últimas palavras, existe uma eternidade… mais uma vez peço desculpas aos membros da família da vítima. Além disso, duvido que você possa registrar adequadamente minhas palavras finais no papel. Você [não] pode até entendê-las porque elas serão faladas na minha língua espiritual, em línguas “,  disse Williams ao executor.

As línguas são mencionadas na Bíblia em 1°Coríntios capítulo 14. Se meu destino é morrer em uma mesa de execução em forma de cruz de crucificação, minhas últimas palavras aqui na terra serão pronunciadas a Deus enquanto o ADC e o Estado do Arkansas estão trabalhando para colocar o meu corpo até a morte”, disse ele antes de falar em línguas.

Os jornalistas dizem que ele continuou a falar em línguas até que o midazolam começou fazer efeito.

Segundo testemunhas, Kenneth, antes de falar em línguas entre leu uma declaração que estava em uma folha de papel, que era segurado pela diretora do Departamento de Justiça do Arkansas, Wendy Kelley. Onde diz:

Eu humildemente estendi minhas mais sinceras desculpas às famílias que injustamente privei  de seus entes queridos. As famílias de: Dominique Hurd, Jerell Jenkins, Cecil Boren, Michael Greenwood.
Eu estava mais do que errado. Os crimes que cometi contra vós eram insensatos, extremamente dolorosos e inescusáveis.
Eu humildemente imploro seu perdão e oro para encontrar a paz, a cura e o encerramento, que todos vocês merecem. … Eu já não sou a pessoa que eu fui, fui transformado. Algumas coisas não podem ser desfeitas, eu procuro perdão “.

O midazolam é um sedativo usado antes das cirurgias. O fármaco também é parte do coquetel utilizado em execuções de injecção letal.

Depois que administraram todos os fármacos, William convulcionou e tossiu, morrendo sete minutos depois que começou o processo de execução.

O jovem de 38 anos foi sentenciado a prisão perpétua pelo assassinado em 1998 de Dominique Hurd, uma animadora universitária.

Três semanas depois da sentença, ele escapou em um barril de restos de cozinha. Ele foi posteriormente condenado por homicídio pela morte de Cecil Boren durante a fuga.

Williams foi condenado pelo assassinato de  Boren sendo condenado a morte. Mais tarde, ele confessou ter matado outra pessoa no mesmo dia em que assassinou Hurd.

Portal Padom

COMPARTILHE

Deixe seu comentário!

comentarioo