Jovem leiloando sua virgindade pode ficar ligada espiritualmente ao parceiro até morrer, comenta Sarah Sheeva

A brasileira Catarina Migliorini, de 20 anos, que está leiloando a sua virgindade, está causando grande polêmica em âmbito nacional e internacional, com diversos líderes cristãos e grupos pró-família expressando grande indignação sobre o caso.

A pastora Sarah Sheeva comentou o caso ao The Christian Post e explicou as possíveis consequências disso a partir de um ponto de vista espiritual.

“Quem acredita nas Escrituras sabe que ela revela que o sexo é uma aliança que vai muito além do corpo físico, é uma aliança espiritual. O que vai acontecer é que espiritualmente essa jovem vai estar ligada com o homem que ela fizer sexo até morrer, ligada espiritualmente, não emocionalmente, mesmo sem ter sentimentos por ele, porque o sexo tem o poder de fazer isso (espiritualmente) com as pessoas. Mesmo que não queiramos, o sexo tem essa consequência espiritual”, disse Sarah Sheeva ao CP.

A pastora explica também que “a menos que ela tenha uma verdadeira experiência com Jesus, a aliança sexual não poderá ser quebrada”.

“O sexo tem uma parte que não pode ser lavada com um simples banho com água e sabão, porque ele vai muito além do corpo físico. Só o sangue de Jesus Cristo pode limpar e quebrar alianças desse tipo, que além do corpo físico, também envolvem o corpo espiritual.”

“É por esse motivo, por causa de alianças sexuais, que muitas pessoas se sentem presas a pessoas de seus passados, pois essas alianças são espirituais”, acrescentou ela.

Catarina é estudante de educação física e trancou a faculdade para participar do projeto de documentário “Virgins Wanted” dirigido pelo australiano Justin Sisely, que veio recrutando virgens por mais de um ano.

VEJA TAMBÉM
Imprensa brasileira mente sobre a quantidade de pessoas na Marcha da Família, mas é desmascarada

Catarina revelou recentemente que ela decidiu fazer não somente por negócios mas para ajudar também a entidades de caridade, em Santa Catarina.

A pastora Sarah Sheeva, que é escritora e conhecida por pregar sobre relacionamentos e abstinência sexual antes do casamento, acredita que Catarina talvez não tenha consciência do valor dela.

“Ao que parece, ela talvez não tenha fé num relacionamento e casamento, não criando esperança e expectativa, ou não sonhando com uma família”, disse Sarah Sheeva ao CP, tentando compreender o lado de Catarina.

Sarah Sheeva, que recentemente realizou o Culto das Princesas em Nova Jersey, EUA, explicou que a atitude de Catarina em vender a sua virgindade pode estar refletindo seu estado emocional, talvez até uma decepção, e que ela talvez não acredite que um homem possa vir a valorizar a sua virgindade.

“Todas as atitudes que nós temos são baseadas no que nós acreditamos. Para ela chegar a vender a virgindade é porque ela
acredita (ou não acredita) em algo ligado a virgindade, e aos relacionamentos sentimentais e sexuais. Provavelmente ela NÃO acredita que possa um dia ser amada ou que valha a pena ela guardar sua virgindade para um homem”, disse a pastora.

Em declarações anteriores, Catarina afirmou que vê o leilão de sua virgindade como um negócio.

“Vejo isso como um negócio. Tenho a oportunidade de viajar, fazer parte de um filme e conseguir uma gratificação com isso”, disse Catarina.

Ela receberá 20 mil dólares australianos (aproximadamente R$ 42,6 mil) e mais 90% do valor ofertado.

Considerando a fé daqueles que acreditam no valor da virgindade e seguem os princípios bíblicos, a pastora Sheeva expressou indignação sobre o fato de que o sexo seja utilizado como “algo descartável”.

VEJA TAMBÉM
Flordelis, Missionária brasileira realiza palestra em Newark-NJ

“A Bíblia fala que o mundo está perdido. E o comportamento dessa jovem é a prova disso. Até que ponto chegamos na humanidade?
A ponto de uma jovem não só vender sua virgindade, mas usar isso como promoção, e lidar com o sexo como se ele fosse descartável”.

De acordo com ela, para os que conhecem a Bíblia – tem entendimento espiritual – a situação de Catarina está sendo um “escândalo”. Mas a pastora entende que Catarina tenha assim decidido por aparentemente não possuir o mesmo entendimento espiritual do que o sexo pode fazer com as pessoas (no âmbito espiritual, e não físico).

“Ela não tem esse entendimento espiritual, por isso ela está tratando o sexo como algo que água e sabão lavam”.

“Não falamos pela questão moral, mas pelo âmbito espiritual do que o sexo pode fazer e isso tem a ver com fé (….). A Bíblia diz que para os que não creem, a Palavra de Deus é loucura”, acrescentou.

Catarina justifica sua decisão apontando que, “muita gente encontra desconhecidos nos bares, transa na mesma noite e nem lembra mais no outro dia; outros perdem a virgindade com namorados e depois as coisas mudam”.

Outros líderes cristãos também se pronunciaram sobre o caso com grande indignação.

O pastor Jaime Kemp, doutor em ministério da família que orienta a juventude brasileira, disse recentemente ao The Christian Post que se entristeceu com a notícia e chamou isso de “abuso”.

“É usar e abusar de uma menina”. “Estamos usando e abusando de uma pessoa ou de um grupo de pessoas. É triste!” disse ele ao CP.

 The Christian Post / Portal Padom

 

 

Comente

Assine nossa Revista Online Gratuitamente: 

Email:

Nenhum spam garantido