Milhares de mulheres são queimadas vivas na Índia e não são reconhecidas como seres humanos

Ministério cristão, denuncia que mulheres estão sendo queimadas vivas, pela família dos noivos querendo mais dote após o casamento.

Um importante ministério cristão, alertou que milhares de noivas estão sendo queimadas vivas na Índia.

A organização cristã, India Partners, que trabalha junto às agências de base indígenas cristãs na Índia, disse à Mission Network News na quinta-feira que ainda existem cerca de 8.000 casos de queima de noiva por ano no país de maioria hindu.

Um representante da India Partners, identificado apenas como John, disse que a visão de inferioridade das mulheres se espalha por partes da sociedade indiana.

“Isso é verdade tanto para homens quanto para mulheres. Não é só do próprio homem. A maioria das mulheres vê a outra mulher em uma posição inferior e não é capaz de reconhecer seus direitos como ser humano “, disse ele.

Os ataques de fogo, alguns dos quais resultaram em mortes, estão ligados a disputas de dote e casamento em distritos rurais.

“Coisas horríveis como essa acontecem, e muitas vezes acontecem por causa das mortes do dote. Antes do casamento, as famílias concordarão com um dote que a família da noiva geralmente pagará à família do noivo”, explicou John.

“Após o casamento, a família do noivo vê a oportunidade de ameaçar a menina e pedir mais dinheiro. Então, começam as ameaças, eles espancam, e a regra de ouro é como quanto mais dinheiro você quiser, mais você precisa bater.”

As mulheres são muitas vezes espancadas quando a família do noivo exige mais dinheiro, o que, por vezes, aumenta ao encharcá-las com líquido inflamável e incendiá-las.

John disse que a queima da noiva é mais comum em distritos rurais como Uttar Pradesh, porque os culpados são menos propensos a serem processados.

“Mas o assédio acontece em todos os lugares. No assédio das mulheres, sua casta não faz qualquer diferença. Quanto de educação você tem não faz qualquer diferença”, acrescentou.

As mulheres na Índia continuam sofrendo de uma epidemia generalizada de estupro, com muitas histórias de extrema violência, agressões sexuais e homicídios que fazem notícia internacional.

Os dalits, membros da classe de castas dos chamados “intocáveis” na Índia, também estão sujeitos à discriminação, especialmente aqueles que optam por se converter ao cristianismo.

No início desta semana, cerca de 2 mil dalits cristãos marcharam em Nova Délhi, exigindo que o governo não pare com seus benefícios sociais devido à sua nova fé.

Os temores são baseados em regulamentações governamentais que argumentam que os cristãos dalits e os muçulmanos que deixam a fé hindu não podem mais ser considerados parte da casta, informou o UCA News.com.

“O governo vem e vai, e só recebemos falsas promessas. Vários protestos e marchas no passado foram inúteis. Agora tocamos bateria para acordar o governo adormecido”, disse padre A. Arputharaj, organizador do protesto em marcha.

Comente

Assine nossa Revista Online Gratuitamente: 

Email:

Nenhum spam garantido