Milhões de cristãos foram enganados sobre a segunda vinda de Jesus?

Nós ouvimos isso há anos. Jesus está vindo como um ladrão na noite, então esteja preparado. Ele pode vir a qualquer momento, sem qualquer aviso, então fique alerta. Você não quer ficar para trás!

Nós ouvimos isso há anos. Jesus está vindo como um ladrão na noite, então esteja preparado. Ele pode vir a qualquer momento, sem qualquer aviso, então fique alerta. Você não quer ficar para trás!

Lembro-me de ouvir esse ensinamento quando cheguei à fé pela primeira vez em 1971.

Os sinais estavam todos lá. As profecias estavam sendo cumpridas diante de nossos olhos. Você podia sentir isso no ar. Jesus estava prestes a arrebatar Sua igreja – para nos pegar – a qualquer momento.

O best-seller de Hal Lindsey, A Agonia do Grande Planeta Terra, divulgou tudo e a contagem regressiva havia começado claramente. Nós estaremos fora daqui a qualquer segundo.

Mas isso foi há muito tempo, quase 50 anos agora. E ainda assim, Jesus não retornou.

É claro que, de 1995 a 2007, houve a série de best-sellers dos romances de Deixados Para Trás por Tim LaHaye e Jerry Jenkins, e eles fascinaram e inspiraram uma nova geração de leitores.

Mas ainda assim, com toda a conversa de Jesus vindo a qualquer momento, com todo o entusiasmo sobre as profecias sendo cumpridas, o Senhor ainda não retornou.

Nossas expectativas estavam erradas? Estamos seguindo um ensino popular, relativamente moderno, em vez das Escrituras?

Sem dúvida, o Novo Testamento proclama que Jesus retornará à terra e estabelecerá Seu reino. E sem dúvida, o Novo Testamento nos chama a viver com prontidão e expectativa. Todos podemos concordar com isso.

Mas o Novo Testamento ensina que, para os verdadeiros crentes, Jesus virá de repente, como um ladrão na noite, sem nenhum sinal? Ou, ao contrário, ensina que Sua vinda não será como um ladrão na noite para os crentes piedosos, visto que estamos despertos e alertas, plenamente conscientes dos sinais dos tempos?

VEJA TAMBÉM
Presbítero denuncia aberrações em entrevista de demônio feita na IURD

Para ser claro, não duvido nem por um momento que estamos vivendo em tempos proféticos.

O evangelho está se espalhando por todo o mundo de maneira sem precedentes, exatamente como as Escrituras previram.

Das cinzas do Holocausto, Israel foi renascido e Jerusalém permanece no centro da atenção mundial, novamente, de acordo com as palavras dos profetas.

E em todo o mundo, os cristãos estão sendo brutalmente perseguidos por sua fé, ceifados por centenas e milhares de pessoas. Isto também está em harmonia com as Escrituras, que falam dos últimos dias como tempos de grande bênção e grande reviravolta, de grande luz e grande escuridão, ou grande vitória e grande conflito.

Mas e se o ensino de um arrebatamento a qualquer minuto, seguido pela Segunda Vinda de Jesus sete anos depois, não for bíblico? O que então? E se, em vez de ser resgatado de uma época da Grande Tribulação, Deus nos capacitará a suportar e vencer enquanto estivermos no meio dela?

Quando cheguei ao Senhor em 1971, aprendi sobre esse arrebatamento pré-tribulação assim como aprendi sobre todos os outros fundamentos da fé. Isso foi básico. Esta foi a Bíblia. Isso é a verdade.

Mas quanto mais eu lia a Bíblia, dia e noite, por horas, e quanto mais eu memorizava a Bíblia (por um período de tempo, memorizando 20 versos por dia), mais eu percebia que não aprendi essa doutrina das Escrituras. Eu aprendi isso de outros livros.

Uma vez que voltei a ler as Escrituras sozinho, sem outros comentários ou interpretações, investigando o hebraico e o grego da melhor forma que pude, concluí que o arrebatamento pré-tribulação não era bíblico.

Não fiquei surpreso, então, ao saber que a doutrina era praticamente desconhecida ao longo da história da igreja até a década de 1830.

VEJA TAMBÉM
A Igreja esta pronta para encontrar o noivo JESUS?

Dito isto, alguns dos meus melhores amigos acreditam em um arrebatamento pré-tribulação. Alguns dos melhores cristãos do planeta acreditam nisso, assim como alguns dos melhores professores da Bíblia.

Eu não divido sobre esta questão, e eu não luto por isso.

Mas quando um editor se aproximou de mim – junto com meu amigo Craig Keener, um dos maiores estudiosos do Novo Testamento do mundo – e nos pediu para escrever um livro sobre o assunto, sentimos que agora era a hora certa.

Nosso novo livro, Não tenha medo do Anticristo: por que não acreditamos em um arrebatamento pré-tribulação , é quente fora da imprensa. E como esperado, já está sendo criticado e criticado por pessoas que dizem que não vão lê-lo. Que interessante!

Por que o livro é tão ameaçador? Por que alguns cristãos levam isso tão pessoalmente?

Dentro da igreja, tem havido visões conflitantes sobre o fim dos tempos por séculos, e podemos concordar em discordar de amor e respeito.

Mas por que, para alguns, apenas questionar se a Bíblia realmente ensina um arrebatamento pré-tribulação é como cutucá-los nos olhos ou insultar sua própria mãe? Por que isso é uma vaca tão sagrada?

Os leitores do livro verão que o professor Keener e eu não bateremos naqueles com os quais diferimos, e eles perceberão que examinamos pontos de vista opostos com justiça e graça.

E acima de tudo, os leitores verão que o nosso livro é para encorajar, para nos lembrar que em Jesus, somos vencedores.

Os leitores também serão lembrados de que, ao longo da história da igreja, até o momento, nossos irmãos crentes estão sofrendo atrocidades pelo evangelho – sendo queimados vivos, enterrados vivos, decapitados, torturados, aprisionados e exilados. No entanto, nas palavras de Paulo, “em todas estas coisas somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou” (Rom. 8:37). Este é o nosso tema também.

VEJA TAMBÉM
Pastor pode ler o nome de quem não está dando o dizimo no púlpito?

Por isso, convidamos você a ler nosso livro , a refletir sobre o que escrevemos, a examinar as Escrituras novamente e a se unir a nós, quaisquer que sejam suas conclusões, desejando ardentemente nossa bendita esperança, a gloriosa aparição de nosso grande Deus e Salvador. Jesus, o Messias (Tito 2:13).

Maranatha!

por: Michael Brown
traduzido e adaptado por: Pb. Thiago Dearo

Comente

Assine nossa Revista Online Gratuitamente: 

Email:

Nenhum spam garantido