Um muçulmano aceitou a Jesus Cristo como o seu Salvador, depois que leu a passagem de João 3:16. Desde então, tem sido discriminado, mas sua fé tem se fortalecido porque tem a certeza de que Cristo é o verdadeiro caminho.

Anil (não é seu nome real por razões de segurança), nasceu em uma família muçulmana e foi formado rigorosamente em sua religião. Realizou estudos avançados sobre o Islã na Arábia Saudita e trabalhou como professor em uma universidade islâmica.

A história de sua conversão ao cristianismo começou na capital saudita, Riad, ali ele teve uma experiência que mudou sua vida para sempre. Anil foi para um lugar onde estava ocorrendo execuções públicas. Um homem aproximou-se e entregou-lhe um panfleto em árabe.

Quando Anil leu o panfleto, ficou profundamente impressionado com o versículo do Evangelho de João 3:16: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira, que deu o seu Único Filho, para que todo que nele crer não pereça mais tenha a vida eterna”.

Eu nunca tinha lido nada parecido em qualquer livro islâmico. Naquele momento eu decidi aprender mais sobre Jesus. Eu descobri que a passagem fazia parte de um livro sagrado chamado Injeel Sharif (Novo Testamento), que foi escrito muito antes de o Corão” disse Anil.

Depois de algum tempo, quando ele estava se preparando para exames de doutoramento, Anil teve a oportunidade de visitar 16 países muçulmanos em uma viagem de estudos. Quando estava no Iraque ele procurou uma igreja. “Fui em busca do pastor, falei com ele. E pedi-lhe para me batizar e ele o fez.”

Após completar seus estudos, Anil voltou para Bangladesh, onde começou a trabalhar como professor de literatura em uma universidade islâmica. No entanto, seu comportamento levantou suspeitas entre seus colegas.

“Eu não lia o Alcorão, então eles começaram a suspeitar de mim. Um dia, alguém me viu lendo a Bíblia em árabe, porque eu estava comparando o texto com a versão em bengali. Fui denunciada por isso para o reitor, que me perguntou se eu tinha me tornado um cristão e eu respondi que eu era um seguidor de Jesus e depois fui despedido “, conta Anil.

A história se espalhou em poucos dias, Anil foi sequestrado por membros de um grupo islâmico radical. “Eles queriam me matar. Me cortaram as veias das pernas, me bateram em lugares diferentes, na frente da minha família. Eu tenho ainda as cicatrizes dos golpes

Quando voltou para sua casa, foi espancado novamente por muçulmanos da mesquita local. Sua família não aceitava sua decisão de abandonar a fé islâmica, por isso acabou sendo deserdado. Por ser tornar cristão, a comunidade local não o aceitava e perdeu o seu emprego.

Em Bangladesh, menos de 0,5% da população é cristã. Tendo em conta da crescente perseguição religiosa, Anil decidiu compartilhar o seu testemunho para incentivar outros cristãos.

Oremos pelos cristãos perseguidos em todo o mundo!

Portal Padom

COMPARTILHE

Deixe seu comentário!

comentarioo