Muçulmanos no Iraque abraçam o cristianismo graças ao testemunho de suas crianças

As crianças tem compartilhado a Palavra de Deus com seus pais, após aceitarem a Jesus Cristo

Crianças deslocadas, que fugiram com suas famílias da violência do Estado Islâmico na região controlada de al-Bad, esperam enquanto estão presas na aldeia de Akda na Síria para atravessar a Turquia, no dia 23 de Janeiro de 2016. REUTERS/Abdalrhman Ismail

“Jesus, porém, disse: Deixai os meninos, e não os estorveis de vir a mim; porque dos tais é o reino dos céus. ”Mateus 19:14

Os muçulmanos deslocados pelo Estado Islâmico estão abraçando o cristianismo graças ao testemunho de seus filhos, que compartilham com os pais o amor de Cristo.

Um diretor do ministério trabalhando em um centro de refugiado no norte do Iraque disse à Christian Aid Mission que, recentemente, 600 crianças participaram de um programa promovido pelo ministério, onde receberam Bíblias e ouviram o evangelho.

Depois de aprender sobre Jesus, um menino de 10 anos decidiu colocar sua fé em Cristo para a salvação, disse o diretor do ministério.

“Naquela noite, pedimos às crianças para contarem aos pais o que tinham ouvido e compartilhar a história de Jesus com todos“, disse o diretor. “O pai de Mahmood veio no dia seguinte reclamando conosco sobre nossa influência na decisão de seu filho de aceitar Cristo.”

Como um muçulmano, o pai do menino estava chateado e temeroso com a reação da comunidade depois de ouvir seu filho dizer: “Eu me tornei um seguidor de Cristo“.

“Seu pai nunca tinha ouvido uma palavra sobre Jesus, então ele nos deu a oportunidade de falar sobre Cristo e Sua salvação”, disse o diretor. “Não muito tempo depois, ele aceitou Cristo e levou Bíblias para sua esposa e duas filhas.”

O diretor do ministério revelou que outros pais também se aproximaram do diretor do ministério com queixas sobre seus filhos. No entanto, eles também acabaram aceitando a Cristo. Ele lhes deu Bíblias, e eles disseram aos outros sobre a paz e alegria que tinham encontrado em Jesus.

O pai de Mahmood agora tem um estudo bíblico em sua casa todas as sextas-feiras às 10 da manhã – o dia de oração muçulmano!”, disse o diretor.

Recentemente, a equipe do ministério viajou para uma cidade no oeste do Irã conhecida por ter ligações com o extremismo islâmico. Depois de passarem tempo em oração, os missionários foram à casa do ancião da aldeia, líder religioso Kaká Shehab, e falaram-lhe sobre Cristo. Sua filha estava doente de asma, então eles oraram por ela antes de deixá-lo com uma Bíblia em língua curda, disse o diretor.

“No dia seguinte”, disse ele, “ele nos telefonou e disse: ‘Minha filha se recuperou, graças às suas orações. Por favor, volte para a aldeia e ore em cada casa e para todos a mesma oração que você orou por ela, E dê Bíblias a cada casa na aldeia’. ”

A equipe retornou e distribuiu 500 Bíblias em língua curda, e eles oraram e explicaram a Cristo a todos que os receberam, disse ele.

Oramos e esperamos que todos os seguidores desta religião se voltem para Cristo em breve“, disse ele. – Por favor, ore.

O grupo islâmico jihadista tomou a cidade de Mosul, a maior cidade cristã do Iraque, bem como Tikrit, Faluja e Ramadi em 2014, deslocando milhares de pessoas.

Enquanto uma coalizão de forças que incluiu o exército iraquiano, milicianos xiitas, tribos sunitas e apoiado por uma coalizão liderada pelos EUA conseguiram retomar grande parte do país, muitos permanecem deslocados. Hoje, o Estado Islâmico controla menos de sete porcento do Iraque, em comparação aos 40 porcento que ocupou há três anos.

“Daesh (outro nome para o Estado Islâmico) controlava 40% das terras iraquianas”, disse o general de brigada Yahya Rasool, porta-voz do Comando de Operações Conjuntas que administra a campanha contra o ISIS. “A partir de 31 de março, eles só detinham 6,8% do território iraquiano”.

CAM observa que os ministérios baseados no Iraque estão em posição ideal para prestar ajuda aos deslocados pela batalha em curso contra o Estado Islâmico, pois eles podem “comprar itens locais barato, saber maneiras seguras de distribuí-los e estão familiarizados com as culturas locais para introduzir A Bíblia e o evangelho, juntamente com itens de ajuda. ” No entanto, eles precisam desesperadamente de financiamento.

“Apesar da região ainda estar em estado de guerra, grandes grupos de habitantes deslocados estão arriscando suas vidas tentando voltar para casa“, disse o diretor do ministério. “Embora isso seja perigoso, devido às condições de vida nos campos, à falta de recursos e ao frio, muitos ainda estão tentando.” Nós fornecemos algum apoio humanitário aos deslocados que estavam nos campos, nas estradas e em pequenas aldeias localizadas Entre as cidades de Erbil, Dohuk e Mosul, mas a necessidade é muito maior do que os nossos recursos. “

Para saber como você pode apoiar os missionários que compartilham o evangelho no Oriente Médio, clique aqui.

Portal Padom

COMPARTILHE

Deixe seu comentário!