‘Não tome minha Bíblia’, vídeo mostra pregador de rua sendo preso em Londres

Você mostra o momento em que um pregador de rua (evangelista), é preso enquanto evangelizava no Metro de Londres

Imagens do momento em que a polícia em Londres prendeu um pregador de rua foi visto 1,8 milhões de vezes.

No vídeo também mostra que a Bíblia do homem foi confiscada depois que oficiais do norte da cidade o acusaram de “causar problemas” e “perturbar o dia das pessoas“.

O clipe, compartilhado no Twitter, não dá qualquer indicação quanto à natureza da pregação do homem.

A polícia metropolitana disse ao Premiê: “A polícia foi chamada à estação de metrô Southgate às 13:52, no sábado, 23 de fevereiro, em resposta às preocupações levantadas sobre o comportamento de um homem.

Foi feita uma prisão para impedir uma violação da paz. O homem foi preso e nenhuma outra ação foi necessária”.

Advogados do Christian Legal Centre, que já defendeu pregadores de rua que enfrentam a prisão , disseram que estavam trabalhando para identificar o homem e, potencialmente, oferecer-lhe conselhos.

Um Clérigo anglicano e ex-capelão da rainha, o dr. Gavin Ashenden estava entre os que expressavam apoio ao evangelista, através da internet.

Ele disse: “Talvez os bispos do Arcebispo de Canterbury e da Casa da Igreja da Inglaterra possam protestar em favor do pregador de rua pobre e marginalizado nas mãos de policiais que não conhecem nem aplicam a lei?”

O Padre da Igreja da Inglaterra em Hereford, o P. Matthew Cashmore disse: “Isto é profundamente, profundamente preocupante.

O modo como a Bíblia foi removida é horrível. Esses oficiais deveriam ter vergonha de si mesmos pelo modo como lidaram com isso.

Ação policial em que prendeu pregador de rua esta sendo investigada

A prisão de um pregador de rua de Londres no fim de semana, que atraiu muitas críticas, está sendo investigada pela Unidade de Padrões Profissionais da polícia.

VEJA TAMBÉM
Muçulmanos fazem falsas acusações de pedofilia contra pastor para fechar igreja

A história do homem, conhecido apenas como Olu, se tornou viral no fim de semana depois que um vídeo foi postado nas redes sociais mostrando que ele foi preso fora da estação de metrô de Southgate e tendo sua Bíblia lhe tirada.

No vídeo, o homem é acusado de “ser racista“, mas não está claro o que ele disse enquanto pregava, o que levou a polícia a intervir.

A polícia confirmou ao Premier que ele foi preso por “violar a paz“. No entanto, pregar nas ruas, não é reconhecido como um crime no Reino Unido.

De acordo com o grupo de campanha Christian Concern, Olu foi retirado da área para um “bairro desconhecido” e deixou ele sem dinheiro para voltar para sua casa.

A polícia já negou isso, alegando que ele foi levado apenas 200 metros de distância.

Ex-membro do parlamento de Enfield Southgate, David Burrowes foi um dos que se preocuparam com o tratamento do pregador. Ele entrou em contato com a comandante de Borough, Helen Millichap, e postou sua resposta no Facebook.

Ela disse: “O Met respeita e defende os direitos de todos os indivíduos para praticar a liberdade de expressão, e isso inclui pregadores de rua de todas as religiões e origens.

Nesse caso, os policiais estavam respondendo a uma ligação em que um membro do público havia questionado sua linguagem.

“Se um incidente relatado para nós é percebido como um crime de ódio em potencial, é justo que investiguemos. Esse é o papel da polícia, mesmo que posteriormente seja tomada uma decisão de que suas ações não sejam criminosas. Nesse caso, foi considerado apropriado remover o homem da área.

Uma reclamação foi recebida de um terceiro sobre as ações dos policiais que compareceram, e isso está sendo revisado pela Unidade de Padrões Profissionais do distrito.”


Deixe a sua opinião!

Assine nossa Revista Online Gratuitamente: 

Email:

Nenhum spam garantido