O Antigo Testamento, em especial Eclesiastes é ótimo para evangelizar os budistas, diz missionário do Japão

Ex-missionário que ajudou implantar igrejas no Japão, explica o porque as passagens do Antigo Testamento e em especial o livro de Eclesiastes é ideal apara testemunhar aos budistas.

Livros e passagens do Antigo Testamento são importantes quando se tenta testemunhar aos budistas, especialmente aqueles que seguem o tradicional budismo asiático, de acordo com um ex-missionário que ajudou a plantar igrejas no Japão.

Harold A. Netland, professor de Filosofia da Religião e Estudos Interculturais da Trinity Evangelical Divinity School, passou nove anos como educador missionário no Japão.

Em um episódio do podcast do Seminário Teológico de Dallas The Table, publicado na semana passada, Netland explicou que o budismo não tem um “deus criador” como o cristianismo.

O budismo clássico no século XIX foi inequívoco; não há deus criador. Não poderia haver um deus criador. Se tudo é impermanente e entra e sai da existência, a ideia de um eterno deus criador simplesmente não se encaixa lá”, observou Netland.

Então, a noção mais moderna é bem, o budismo não é realmente ateu, é apenas agnóstico. E esta é uma maneira moderna de pensar. O budismo clássico é muito claro; Deus não existe.”

Netland posteriormente descreveu como iniciar uma conversa com um tradicional budista asiático, observando que era necessário começar do começo.

Tradicional budista asiático, leva muito tempo. Você começa um estudo bíblico, Gênesis 1, ou escolhe um texto do Novo Testamento. No princípio, Deus”, disse Netland.

Você tem que parar aí e conversar. O que você quer dizer com Deus? Quem é Deus? E os pastores japoneses são muito, muito bons. Muito paciente. Eles apenas continuam voltando para isso. Até que você realmente aprecie a ideia de um deus criador, nada disso vai fazer sentido”.

O livro do Antigo Testamento de Eclesiastes, que enfatiza a falta de sentido das atividades terrenas, é popular entre os budistas japoneses, de acordo com Netland.

VEJA TAMBÉM
Finalmente Harold Camping, se aposenta e reconhece "Ninguém sabe o dia nem a hora"

Eu descobri que certamente os japoneses apreciam o livro de Eclesiastes que muitos americanos não apreciam. Nós não sabemos o que fazer com este livro. Eles gostam disso. A linguagem é algo com que eles ressoam”, explicou Netland.

“E, claro, em Eclesiastes, nos pontos principais, você tem Deus. Lembre-se do seu criador. E isso coloca isso em uma luz totalmente diferente. Mas há pontos de contato e ressonância lá.”

Outros líderes cristãos, mais notavelmente o pastor sênior da Igreja da Comunidade de North Point, Andy Stanley, argumentaram que o Antigo Testamento é um obstáculo ao evangelismo, pelo menos para igrejas nos Estados Unidos da América.

Em um sermão controverso de abril, Stanley explicou que, embora ele acredite que o Antigo Testamento é “divinamente inspirado”, não deveria ser “a fonte para qualquer comportamento na igreja”.

Pedro, Tiago, Paulo decidiu desfazer a fé cristã de suas escrituras judaicas e também de meus amigos“, declarou Stanley na época.

O novo pacto de Jesus, Seu pacto com as nações, Seu pacto convosco, Sua aliança conosco, pode sustentar. Não precisa ser sustentado pelas escrituras judaicas”.

Os críticos dos comentários de Stanley incluem Ray Ortlund, pastor da Igreja Immanuel em Nashville, Tennessee, que disse em um discurso na Conferência da Costa Oeste da Coalizão do Evangelho em outubro que em seus escritos do Novo Testamento St. Paul “volta para Davi, para Moisés, para Abraão. Ele reverencia a fé que chegou até ele, filtrada através da tradição judaica”.

Ao contrário de alguns pregadores hoje, Paulo não ‘desanexou’ a fé cristã do Antigo Testamento”, declarou Ortlund.

VEJA TAMBÉM
NOTA OFICIAL DA IGREJA RENASCER

E para ele pessoalmente, a conversão cristã não tirou o judaísmo dele. Ele fez de Jesus o Senhor sobre o seu judaísmo e sobre sua consciência, os quais ele continua a honrar”.

Comente

Assine nossa Revista Online Gratuitamente: 

Email:

Nenhum spam garantido