“Os cristãos não são seus inimigos”: diz Franklin Graham ao governo norte-coreano

Franklin Graham disse à CBN News que tem esperança de que o governo comece a ver os crentes de maneira diferente.

135

O evangelista Franklin Graham tem uma rica história familiar na Coréia do Norte. Sua mãe, Ruth Graham, frequentou o ensino médio em Pyongyang na década de 1930. Seu pai, Billy Graham, visitou o país comunista em 1992 e 1994. Franklin Graham também fez quatro viagens humanitárias para o norte enquanto liderava a  Samaritan’s Purse, em uma variedade de campanhas para ajudar o povo norte-coreano.

Esse engajamento levou-o a falar diretamente com o presidente Trump em várias ocasiões sobre a Coréia do Norte, pedindo-lhe que prestasse atenção.

“Esse conflito precisa ser resolvido”, disse ele à CBN News durante uma entrevista na terça-feira. “Tenho 65 anos, então toda a minha vida estamos basicamente em guerra com a Coréia do Norte.”

Será que Graham acha que a cúpula de Cingapura entre Trump e o líder norte-coreano Kim Jong Un ajudou? Ele diz que esta “muito otimista” sobre isso.

“Eu acho que os norte-coreanos estão querendo falar com os americanos há muito tempo e este é o primeiro governo com o qual eles puderam conversar diretamente assim”, disse o evangelista.

Graham acredita que os norte-coreanos são um povo orgulhoso e que a administração Trump os envolveu bem.

“Os norte-coreanos só querem mostrar respeito e outras administrações os ignoraram como se não fossem nada”, disse ele.

Graham também acredita que a cúpula começará a aliviar a perseguição do governo norte-coreano aos cristãos.

David Curry, defensor da liberdade religiosa e presidente da Open Doors USA , disse à CBN News na sexta-feira  que “os cristãos são considerados os inimigos número um do estado na Coréia do Norte”. Ele disse que o governo vê sua fé em Deus e não Kim Jong Un como um desafio.

VEJA TAMBÉM  Tribo africana dança de alegria ao receber a Bíblia em seu idioma (assista)

Graham disse à CBN News que tem esperança de que o governo comece a ver os crentes de maneira diferente.

“Eu quero que o governo comunista saiba que os cristãos não são seus inimigos”, disse ele. “Eles têm o potencial de serem os melhores cidadãos do país, porque Deus ordena a todos nós que oremos pelos que têm autoridade.”

Open Doors estima que o governo norte-coreano esteja mantendo pelo menos 50.000 cristãos em campos de prisioneiros. Ele classificou a Coréia do Norte como o primeiro lugar mais perigoso para ser um cristão em sua Lista de Observação Mundial nos últimos 17 anos.

Portal Padom

Com informações CT

Assine nossa Revista Online Gratuitamente: 

Email:

Nenhum spam garantido

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.