Papa Francisco: O aborto é “luva branca” equivalente aos crimes nazistas

Francisco tem dedicado muito do seu pontificado à pregação sobre famílias, casamento e os problemas que as famílias hoje enfrentam.

O Papa Francisco denunciou no último sábado, 16, o aborto, classificando-o como uma “luva branca” equivalente ao programa de eugenia da era nazista e pediu às famílias que aceitem as crianças que Deus lhes dá.

Francisco falou espontaneamente em uma reunião de uma associação familiar italiana. O Vaticano não forneceu imediatamente uma transcrição de suas observações, mas a agência de notícias ANSA e a agência SIR da conferência episcopal italiana o classificaram como denunciando os testes pré-natais que podem resultar em pais escolherem interromper uma gravidez se o feto está mal formado ou sofrendo outros problemas.

“No século passado, o mundo inteiro ficou escandalizado com o que os nazistas fizeram para purificar a raça. Hoje, fazemos a mesma coisa, mas com luvas branca ”, disse o líder da Igreja Católica Apostólica Romana, segundo as agências.

Papa Francisco pediu que as famílias aceitem crianças “como Deus as dá a nós”.

Francisco repetiu a rígida postura antiaborto de seus antecessores e integrou-a em sua condenação mais ampla do que ele chama de “cultura descartável” de hoje. Ele frequentemente lamenta como os doentes, os pobres, os idosos e os não-nascidos são considerados indignos de proteção e dignidade por uma sociedade que valoriza a eficiência individual.

Francisco tem dedicado muito do seu pontificado à pregação sobre famílias, casamento e os problemas que as famílias hoje enfrentam. Essas questões ele deve destacar durante sua viagem em agosto à Irlanda, onde ele encerrará a grande reunião familiar da Igreja Católica.

Comente

VEJA TAMBÉM
Cientistas estudam indiano que diz viver há 70 anos sem comida e água - Assista

Assine nossa Revista Online Gratuitamente: 

Email:

Nenhum spam garantido