O homem que criou a revista adulta ‘Playboy’, Hugh Hefner, morreu aos 91 anos. Hefner, que fundou a revista de estilo de vida masculina sexualmente explícita em 1953, morreu em sua casa, a Playboy Mansion em Los Angeles.

Uma figura controversa, Hefner morava com várias jovens modelos, e até se casaram com duas delas que eram décadas mais novas do que ele.

“Meu pai viveu uma vida excepcional e impactante como pioneiro da mídia e da cultura e uma voz principal por trás de alguns dos movimentos sociais e culturais mais importantes do nosso tempo na defesa da liberdade de expressão, dos direitos civis e da liberdade sexual”, afirmou o filho de Hefner, Cooper em uma declaração. “Ele definiu um estilo de vida e um ethos que está no coração da marca Playboy, uma das mais reconhecidas e duradouras da história”.

Alguns líderes cristãos comentaram à morte de Hefner, muitos deles criticaram abertamente seu legado de hedonismo e a exploração das mulheres. “A morte de qualquer pessoa é uma tragédia. Hugh Hefner não é uma exceção disso. Não podemos, no entanto, que sua morte classificar vida de” sucesso “ou” um sonho “, disse o presidente da ERLC, Russell Moore.

“Hefner não criou, mas comercializou engenhosamente a idéia de que a vida de um homem consiste na abundância de seus bens e de seus orgasmos“, continuou Moore, acrescentando: “Rejeite o ideal Hefner de sucesso. Encontre um caminho que conduza além do túmulo. Seu nome é Jesus. Mas é um caminho solitário”.

Confira abaixo alguns comentários publicados no Twitter.

“É impressionante para mim que ele tenha deixado este mundo um dia depois do lançamento do livro “Saving a Sick America” (Salvando uma América doente: uma receita para a transformação moral e cultural), onde tem, apresentado um capítulo intitulado ‘From Playboy to Purity: Reversing the Sexual Revolution’ (De Playboy para Pureza: Invertendo a Revolução Sexual) “escreveu Dr. Michael Brown.

“Hugh Hefner morto aos 91. Lembro-me de compartilhar o Evangelho com ele. Ele viu o significado da Ressurreição, mas nunca aceitou essa evidência.”, escreveu no twitter o pastor Lee Strobel.

“A morte é sempre uma tragédia. Toda vida tem valor. Mas alguns de vocês estão agindo como @ hughhefner fosse um herói. Ele prostituiu as mulheres com lucro“., escreveu o pastor Jarrid Wilson.

Já o pastor Russell Moore resumiu dizendo que: “O caminho da boa vida não é hedonismo, mas crucificação. O sinal da boa vida não é o coelho, mas a cruz… Enquanto isso, o Bom Pastor procura no mato da sua ovelha perdida. E às vezes procura um coelho perdido, também.”

Portal Padom

COMPARTILHE

Deixe seu comentário!

comentarioo