Por que tantos cristãos estão confusos sobre a homossexualidade?

Como é que a Bíblia pode ser tão clara sobre um assunto particular - neste caso, o assunto da prática homossexual - e ainda alguns cristãos não estão claros sobre o que a Bíblia diz?

Como é que a Bíblia pode ser tão clara sobre um assunto particular – neste caso, o assunto da prática homossexual – e ainda alguns cristãos não estão claros sobre o que a Bíblia diz? E por que parece que os millennials em particular estão confusos sobre a Bíblia e a homossexualidade?

Aqui estão as principais razões, algumas positivas (ou seja, a intenção pode ser boa, mesmo que a conclusão seja errada) e algumas negativas (ou seja, não há boas razões para as conclusões erradas).

Primeiro, muitos cristãos millennials  têm amigos ou familiares que se identificam como gays ou lésbicas.

Esses amigos e entes queridos são pessoas legais, pessoas amigáveis, pessoas decentes, pessoas trabalhadoras, pessoas leais. Eles não são predadores sexuais e parecem perfeitamente normais em outros aspectos.

Seus relacionamentos parecem bastante semelhantes aos relacionamentos heterossexuais, e pelo que esses amigos e entes queridos dizem, eles nasceram assim.

Como pode ser pecado ser gay?

Em segundo lugar, alguns desses millennials cresceram nos ambientes da igreja onde os gays eram demonizados.

Isso apenas ressalta o contraste entre o que os pais dizem e o que os jovens parecem estar vivenciando. Por que, esses millennials se perguntam, eu deveria acreditar no que meus pais dizem quando pareciam tão preconceituosos e até fanáticos?

Em terceiro lugar, muitos millennials têm um coração para a justiça.

Eles querem lutar contra a tirania e a opressão. Eles querem que todos tenham condições de igualdade. Em particular, eles querem ficar com pessoas que são tratadas injustamente, que são rejeitadas, que são estigmatizadas.

Quem foi mais estigmatizado que os gays (e outros no espectro LGBT)?

Quarto, uma porcentagem significativa dos millennials vem de lares desfeitos, então eles não estão tão animados com o casamento em geral e certamente não vêem o casamento heterossexual como algo particularmente maravilhoso.

VEJA TAMBÉM
Conheça os 50 países que mais perseguem os cristãos no mundo

Por que os gays não deveriam ter uma chance também? Talvez, alguns millennials pensam para si mesmos, eles vão fazer melhor do que meus pais fizeram.

Quinto, muitos millennials equiparam o evangelho a ser bom, e não é bom ferir os sentimentos das pessoas.

Se eles dizem que a prática homossexual é pecaminosa, sem dúvida, eles prejudicam seus amigos gays. Como Jesus queria que eles fizessem isso?

Em sexto lugar, muitos millennials (que agora se chamam “nones”) foram queimados pela religião tradicional.

Eles viram tanta hipocrisia e tão pouca devoção e sinceridade que questionam o dogma “religioso”, incluindo o ensino tradicional sobre sexualidade.

Estas seriam as razões “positivas” por trás de chegar a conclusões erradas sobre a homossexualidade.

Em resposta, gostaria de observar em cada ponto que:

1) Há muçulmanos, ateus, budistas e outros que são bons, trabalhadores, decentes, mas, como seguidores de Jesus, ainda acreditamos que precisam de Jesus. Quanto às pessoas que nascem gays, não há evidências científicas respeitáveis ??de que isso seja verdade. E mesmo se fosse verdade, Jesus nos diz que precisamos nascer de novo. Todos nós somos pecadores por natureza.

2) É uma pena que a igreja às vezes demonize os gays no passado. Não vamos cometer o erro oposto de negar o que as Escrituras dizem sobre os relacionamentos homossexuais.

3) É ótimo lutar pelos oprimidos, mas a paixão pela justiça pode ser míope quando se esquece de outras questões ainda maiores, como a intenção de Deus para o casamento ou como o ativismo LGBT é a principal ameaça às nossas liberdades de consciência, fala e religião. Não vamos minar importantes fundamentos sociais enquanto tratamos os outros com amor e respeito.

VEJA TAMBÉM
Grupo Islâmico decapitam jovem cristão

4) A solução para lares desfeitos não é redefinir o matrimônio, mas redescobrir a natureza sagrada do matrimônio, que inclui relacionamentos amorosos, sacrificiais, duradouros, feitos diante de Deus e mantidos diante de Deus.

5) É maravilhoso ser legal, mas não à custa de dizer a verdade. Pode parecer bom, mas dificilmente é amoroso.

6) As pessoas nas igrejas podem falhar, mas Jesus permanece verdadeiro e Sua Palavra permanece imutável.

Aqui estão as principais razões “negativas” que muitos millennials chegam às conclusões erradas sobre a homossexualidade.

A primeira é a ignorância das escrituras.

Há uma incrível falta de conhecimento bíblico na Igreja nos dias de hoje, em particular entre os millennials. Podemos discutir se isso é culpa de seus pais, a culpa de suas igrejas, sua própria culpa, ou simplesmente o resultado de crescer em um mundo digital, de som.

Seja qual for a causa, pode haver pouco debate que algumas das verdades mais fundamentais são pouco conhecidas hoje e que as questões básicas sobre a Bíblia mistificam demais.

Coisas que foram tomadas como garantidas em gerações passadas não podem ser tomadas como garantidas hoje. Nós devemos voltar para a Palavra!

O segundo fator é a relatividade moral.

Esses jovens foram criados em um ambiente onde tudo é relativo – e não me refiro apenas à moralidade.

Há verdade relativa, como em “sua verdade” e “minha verdade”.

Existe até uma relativa realidade, como em “Eu me identifico como parte humana, parte papagaio”. Ou “Eu me identifico como negro mesmo que minha pele seja branca”.

Os sistemas escolares aceitaram esse engano e fizeram parte de seu evangelho sagrado. Não admira que aqueles que foram criados neste mal-estar educacional tenham se tornado tão profundamente confusos. (E no nível universitário, é muito mais agressivo e anti-Deus.)

VEJA TAMBÉM
Por Que o Mundo Odeia os Cristãos | Rev. David Wilkerson

Devemos, portanto, absolutos morais e absolutos da verdade e absolutos da realidade. E novamente, fazemos isso sendo fundamentados na moralidade e realidade divinas. Fazemos isso sendo fundamentados na verdade.

Então, deixe os velhos e os jovens se unirem, aprenderem juntos e falarem com uma mente para a comunidade LGBT. É o mínimo que podemos fazer por esses homens e mulheres pelos quais Jesus morreu.

por: Dr. Michael Brown
Traduzido e adaptado por: Pb. Thiago Dearo

Deixe a sua opinião!

Assine nossa Revista Online Gratuitamente: 

Email:

Nenhum spam garantido