Pr. John Piper diz que um novo Papa deve acreditar na justificação pela fé

John Piper pede um novo papa que acredite apenas na justificação pela fé para substituir o Papa Francisco

202

O teólogo reformado John Piper sugeriu que deveria haver um novo papa, alguém que acredita que a justificação é somente pela fé.

“Qualificações para o novo papa que daria mais fruto”, twittou Piper  na quarta-feira, e listou:

“Ele deveria crer que a justificação é somente pela fé, o batismo é um sinal não uma causa de regeneração, Cristo está na Ceia do Senhor pela memória e a fé não fisicamente, a Bíblia somente tem autoridade final, não o papa.”

Os argumentos de Piper referem-se essencialmente a algumas das diferenças mais fundamentais entre católicos romanos e protestantes, numa época em que os primeiros enfrentam uma grave crise, com pedidos para que o Papa Francisco se retire.

A Igreja Católica foi atingida por revelações de abuso sexual generalizado de crianças nas mãos de padres e subsequente encobrimento de clérigos que durou décadas, motivo pelo qual Francisco tem se desculpado.

Figuras notáveis, como o arcebispo Carlo Maria Viganò, que anteriormente serviu como embaixador do Vaticano nos Estados Unidos, recentemente acusou Francisco  de fazer parte de tais encobrimentos, e pediu a ele que renunciasse.

Em uma impressionante carta de 11 páginas, Viganò acusou Francisco de cobrir o ex-cardeal americano Theodore McCarrick depois que este último aproveitou-se sexualmente de jovens seminaristas.

“O papa Francisco deve ser o primeiro a dar um bom exemplo aos cardeais e bispos que encobriram os abusos de McCarrick e se demitem junto com todos eles”, exigiu Viganò na carta.

Quando perguntado por jornalistas para responder às acusações, Francisco disse no domingo:

“Eu direi sinceramente que devo dizer isto, a você e a todos vocês que estão interessados: Leia o documento cuidadosamente e julgue por si mesmo.”

“Não vou dizer uma palavra sobre isso. Acho que a declaração fala por si”, acrescentou o pontífice.

“Você tem capacidade jornalística suficiente para tirar conclusões. Quando algum tempo se passou e você tem as conclusões, talvez eu fale.”

Piper, que é o ex-pastor da Igreja Batista Bethlehem, no passado argumentou que o “ponto crucial” tanto da Reforma quanto do Evangelho é o conceito de que as pessoas são justificadas e finalmente salvas pela graça de Deus, e não pelas obras do homem.

“Especialmente no que diz respeito à salvação final, muitos de nós vivemos numa névoa de confusão”, escreveu Piper em 2017 .

Ele também apontou para as cinco “solas” da Reforma, ou seja, sola Scriptura (somente a Escritura), sola fide (somente fé), sola gratia (graça somente), solus Christus (somente Cristo) e soli Deo gloria (para a glória de Deus). sozinho.

Uma pesquisa  da Pew feita no início de 2017 descobriu que 52% dos protestantes norte-americanos acreditam que tanto as boas obras quanto a fé são necessárias para a salvação, apesar de a crença estar mais próxima dos católicos. Ainda assim, 46% dos protestantes concordaram com a crença da fé somente.

Deixe a sua opinião!

1 COMENTÁRIO

  1. Acho que o eminente teólogo John Piper, tá esquecendo que não há papado, biblicamente falando. Ao aceitar essa linha de pensamento, creio que é a mesma coisa de aceitar essa entidade…

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here