Presidente do Egito, presenteia os cristãos com a maior igreja do Oriente Médio

Presidente do Egito, Abdel Fattah el-Sisi, embora seja muçulmano, constrói a maior igreja cristã no Oriente Médio, fazendo os crentes crer em um novo movimento espiritual no país.

CAIRO – Cristãos no Egito estão celebrando o nascimento de Jesus Cristo. O Natal de 2019 é particularmente especial porque será lembrado pela dedicação da maior igreja do Oriente Médio para os cristãos coptas. (Cristãos ortodoxos celebram o Natal em 7 de janeiro)

O papa copta do Egito inaugurou a Natividade da Catedral de Cristo durante a missa de Natal. O Presidente Abdel Fattah el-Sisi se juntou à celebração.

O edifício é um presente do Presidente el-Sisi para a Igreja. Ele encomendou a catedral em 2017 como parte de uma nova capital sendo construída fora do Cairo. Ele disse que a nova igreja deveria ser considerada “uma mensagem de paz e amor ao mundo”.

Eu acho que o que vimos aqui é histórico. Eu realmente acho que é uma virada de jogo que um presidente muçulmano árabe-sunita do maior país árabe do mundo tenha construído uma igreja, a maior do Oriente Médio e dada como um presente para os cristãos. Nunca vimos nada parecido na história. E acho que o presidente Sisi está enviando uma mensagem não apenas para seu próprio povo, mas para todos os muçulmanos que muçulmanos e cristãos podem conviver em coexistência. Esse é um desenvolvimento extraordinário“, disse. Rosenberg.

Em um tweet, o presidente Trump elogiou El-Sisi por mudar seu país para um futuro mais inclusivo. Johnnie Moore concorda e o vê liderando um novo movimento espiritual no Oriente Médio.

Há um versículo na Bíblia que diz: ‘O que o inimigo significa para o mal, Deus usa para o bem’. O horrível terrorismo da última década em 2014 e 2015 com o ISIS, o que ele fez é que ele criou um terreno fértil para um novo espírito de tolerância a aumentar em toda a região e você tem líderes que estão facilitando isso”, disse Moore.

VEJA TAMBÉM
Pastor é espancado até a morte na Russia.

O Reverendo Andrea Zaki, Presidente das Igrejas Protestantes do Egito, diz que o Egito retratado na mídia não é a história toda.

Eu acho que o Egito está se movendo. Mudança não é como um computador, clique em você tem uma nova tela em um segundo. Cultura, costumes, nações, economia, tudo isso está demorando muito. Mas você pode sentir e ver e tocar as mudanças. O Egito está mudando“, disse o Rev. Zaki à CBN News.

O grupo também se reuniu com o papa Tawadros, chefe da maior igreja cristã do Oriente Médio, e líderes evangélicos. Eles compartilharam a mesma história.

A resposta que eles nos dão repetidamente, é que temos desafios, mas a situação é muito melhor do que sob Sadat, sob Mubarak, sob a Irmandade Muçulmana, com certeza“, explicou Rosenberg. “Somos encorajados, mas vamos continuar pressionando por mais mudanças“.

Deixe a sua opinião!

Assine nossa Revista Online Gratuitamente: 

Email:

Nenhum spam garantido