Na semana passada, na 75ª Convenção National Religious Broadcasters, o pastor da igreja Saddleback, Rick Warren, declarou em um discurso que a Igreja, tal como a conhecemos, não verá o avivamento que tão desesperadamente precisa sem arrependimento e unidade ao abordar o pecado do racismo

Citando a doutrina bíblica do Imago Dei, Warren destacou onde a comunidade cristã precisa de uma ajuda séria: “Amigos, estamos falhando na unidade. A Igreja está mais dividida, mais polarizada, há mais tribos e mais salpicadas, mais fraturadas, do que nunca “.

“Eles estavam em um lugar, eles eram de um acordo, eles eram de um só coração, eles tinham um propósito, eles tinham uma visão … Quando tivermos a unidade dos Atos, teremos o poder dos Atos”, continuou Warren.

Nós não estamos dispostos a pagar o preço pelo Pentecostes. Não estamos dispostos a deixar de lado nossas pequenas diferenças e unificar em torno de uma coisa: o Senhor Jesus Cristo”.

Warren revelou que a violência que entrou em erupção entre os manifestantes supremacistas brancos que protestavam contra a remoção de uma estátua de Robert E. Lee e contra manifestantes em Charlottesville, na Virgínia, no ano passado “me dá enjoo”, ele decidiu hospedar um retiro de um dia para os pastores sobre como A Igreja deve abordar o racismo.

“Nós nos sentamos em uma sala e eu disse: ‘OK, não há agenda aqui, só vamos falar sobre como temos unidade no corpo de Cristo. Porque não vamos ter um avivamento se 11 horasda manhã de domingo ainda é a hora mais segregada na América“, disse ele.

Uma coisa que Warren levou para a reunião foi que a Igreja é o “único lugar” que não está integrado na nossa sociedade – e é “nos prejudicando” e impedindo o avivamento.

Deus quer que todos sejam salvos, afirmou Warren, e a reconciliação está no coração do Evangelho.

“Como tratamos outras pessoas importa para Ele”, disse o pastor do sul da Califórnia. “A Bíblia é muito clara que o preconceito racial é um pecado … Deus odeia o preconceito racial”.

O preconceito racial”, acrescentou, “questiona a criação de Deus”.

“Quando digo: ‘Deus, por que você não fez todos como eu?’ Eu basicamente estou dizendo: ‘Deus, você estragou’ “, explicou. “Eu não sou o padrão da perfeição, nem tampouco você. Sempre que eu tratar alguém como menos do que eu, estou questionando a sabedoria de Deus”.

O preconceito racial também é um sinal de “ignorância“, disse Warren, apontando para 1 João 2:11, que diz: “Mas quem odeia um irmão ou uma irmã está na escuridão e anda na escuridão. Eles não sabem onde eles estão indo, porque a escuridão os cegou.

“O racismo não é um problema de pele, é um problema de pecado“, disse ele. “Não se trata de pele, é sobre o orgulho”.

Finalmente, o preconceito racial desobedece ao Grande Mandamento para “amar a Deus com todo o seu coração e amar o seu próximo como você”, disse Warren.

“[A Bíblia] trata de relacionamentos“, disse ele, acrescentando que o “pecado mais comum” no mundo é o racismo.

“Então, o que fazemos?” ele perguntou.

Para ajudá-lo a responder a essa pergunta, Warren convidou o Dr. John M. Perkins, pastor e ativista dos direitos civis, para o palco.

O racismo ‘cegou’ esse mundo”, disse Perkins, “e a luz da verdade de Deus é o único meio de combater eficazmente o preconceito. Porque a humanidade foi criada à semelhança de Deus, devemos tratar uns aos outros com dignidade como comandado nas Escrituras. A dignidade, segundo ele, é definida como a afirmação das boas obras criadas por Deus”.

“A vida cristã é a sobrevivência de Cristo. Como podemos viver essa vida? Esse é o antídoto [para o racismo]”, explicou.

O racismo hoje está se movendo em direção ao “genocídio”, alertou Perkins, acrescentando que é um comportamento aprendido, pois não há racismo entre as crianças que brincam na caixa de areia.

“Você tem que construir cadeias para nos separar”, disse ele. “Estamos em um lugar muito difícil, e não acho que colocar armas nas escolas com os professores é o primeiro pensamento que devemos ter. Penso que podemos fazer melhor”.

“Não falo sobre política”, acrescentou. “Deus diz que devemos ser sal e luz para o mundo. Deus diz que devemos ser pacificadores … a resposta para o nosso problema é sobre o qual é a redenção: Porque Deus amou o mundo de tal maneira que Ele deu Seu único filho gerado, para que todo aquele que nele crê terá vida eterna. Tudo volta para a cruz “.

O tema da Bíblia, ele ressaltou, é que somos todos um corpo em Cristo.

“Nós fomos quebrados pelo pecado e nosso relacionamento está quebrado com Deus e está quebrado um com o outro”, continuou ele. “Nós devemos nascer de novo na família de Deus … nós pensamos que o pecado vem de lá. A Bíblia não diz isso. O pecado vem de nós … ele começa comigo”.

“Nós fomos feitos para caminhar no espírito, e nós temos que caminhar juntos”.

Warren lembrou aos participantes, a maioria dos que são no campo das comunicações cristãs, que existe uma “conexão direta entre a nossa eficácia evangelística e nossa vontade de construir pontes com pessoas que não são como nós”.

“Se você não gosta de pessoas que não se parecem com você, você não vai gostar do Céu. Temos que aprender a praticar aqui na Terra o que faremos no Céu”, disse ele.

Você pode não gostar, mas a América está se tornando mais multicultural “, acrescentou Warren. “Você vai chegar à América que você deseja? Ou você vai chegar à América que vai ser? Bem, primeiro lugar, não importa o que são os dados demográficos, Jesus morreu por todos”. – TCP

Assine nossa Revista Online Gratuitamente: 

Email:

Nenhum spam garantido

Deixe o seu comentário

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here