Na última segunda-feira, 11, a Igreja Universal do Reino de Deus, IURD, liderada pelo bispo e fundador Edir Macedo, tornou-se alvo de uma intensa investigação realizada pela emissora portuguesa de televisão TVI, onde denuncia que a Igreja Universal do Reino de Deus manteve rede de adoções ilegais em Portugal e que o bispo obrigava seus pastores a fazerem vasectomia para não terem filhos.

O especial com dez matérias, realizado pela emissora intitulado como “O Segredos dos Deuses”, está mostrando o resultado de uma pesquisa de sete meses, onde envolveu mais de dez mil documentos e cerca de 40 processos em andamento.

No vídeo, que você poderá assistir logo abaixo, mostra como funcionava a rede de adoções ilegais que teria levado crianças portuguesas para outros países, tudo isso sob o comando de bispos e pastores da igreja Universal do Reino de Deus naquele país.

A TVI diz que tudo começava no Lar Universal, mantido pela Igreja Universal de Lisboa, durante a década de 1990. Os abrigos teriam recebido crianças que foram tiradas de famílias em situação financeira difícil e adotadas, irregularmente, por bispos e pastores.

As responsáveis pela série, as jornalistas Alexandra Borges e Judite França, afirmam que decorrer da série mostraram casos com riquezas de detalhes, e que inclusive dois netos de Edir Macedo teriam sidos adotados através deste esquema criminoso.

Após 20 anos das adoções, algumas mães e crianças que foram vítimas do esquema, concordaram em denunciar pela primeira vez o que aconteceu com elas, fato este que também fez o jornal Diário de Notícias de Portugal repercutir a investigação.

Alexandra explica que o objetivo das mães em falar sobre o assunto, não é ter de volta os filhos, pois sabem que isso seria impossível, mas desejam que elas saibam que nunca os abandonaram.  “Por muitos anos, estas mães foram a tribunais, Segurança Social, polícia e nada resolveu. Queremos que o Estado ouça estas mulheres“.

Segundo um documento apresentado pela TVI relativo à investigação, “um importante membro desta rede chegou mesmo a roubar um recém-nascido da mãe na maternidade e a registrá-lo diretamente como seu filho biológico”.

“Isto aconteceu debaixo dos nossos olhos e retrata o esquema que estava montado num lar ilegal”, assevera o diretor de informação da TVI, Sérgio Figueiredo. Ele adiantou que a situação “atinge a cúpula da IURD”, destacando que as crianças “foram levadas sem que os tribunais ouvissem as famílias delas”.

O Lar Universal abriu em 1994 em Lisboa e foi legalizado em 2001. A Igreja fechou o local em 2011, alegando como motivo a crise.

Com informações de TVIPúblico , Diário de Notícias e GospelPrime

Deixe seu comentário!