Lutando contra o câncer? Cuidado com essa mentira espiritual que as pessoas podem lhe dizer

As igrejas não deveriam incluir em seus dogmas a falta de explicação, espiritual ou não, por que, como ou quando alguém morre?

Enfrentar qualquer tipo de doença é difícil. Para aqueles que lutam contra o câncer, essa estrada pode ser assustadora, desafiadora e longa, tanto física quanto emocionalmente. Também pode ser uma prova espiritual, provocando sentimentos de dúvida, medo, raiva e abandono.

Há muitas dinâmicas em jogo para alguém lutando contra o câncer. Uma coisa que não precisa fazer parte da equação é o julgamento daqueles na igreja. É nossa responsabilidade, como comunidade de fé, elevá-los e oferecer incentivo durante esse período desafiador.

Embora seja difícil acreditar que alguém possa menosprezar alguém que esteja combatendo uma doença mortal, acreditando que o sofrimento e a sucumbência à doença é culpa deles, isso acontece. Seja por meio de ataques intencionais ou conselhos não intencionais, há muitos que complicam ainda mais uma jornada já árdua.

Tenha um pouco de fé

O conselho espiritual mais comum é “só tenha fé. Deus curará aqueles que têm a fé de apenas um grão de mostarda!” Parece esperançoso e simples o suficiente. Mas, na verdade, alguém simplesmente acreditando na capacidade de cura de Deus nem sempre termina necessariamente como esperado.

Esse conselho aparentemente útil pode se tornar prejudicial devido à posição teológica incorreta de simplesmente precisar ter fé suficiente em todas as situações. Em muitos casos, essa posição é mantida por indivíduos que nunca foram desafiados com uma doença com risco de vida, como o câncer.

“‘Não julgue, e você não será julgado. Não condene, e você não será condenado. Perdoe, e você será perdoado'” (Lucas 6:37).

O orgulho espiritual em relação à crença de entendimento absoluto e discernimento sobre o que, quando e como Deus faz as coisas é a base para essa posição. Devemos trabalhar para manter nossas esperanças e incentivos excessivamente zelosos em cheque e oferecer a esperança de que o que é garantido é que Deus nunca nos deixará ou nos abandonará.

VEJA TAMBÉM
Produtos para alisar cabelo pode causar câncer

A história do trabalho

Outro equívoco comum sobre a cura é que devemos ser irrepreensíveis aos olhos de Deus para receber a ajuda Dele. Essa “culpa” pode incluir tudo, desde a necessidade de oferecer perdão a outro, ciúme ou qualquer outro pecado que você esteja segurando. Mas Deus não retém Suas bênçãos de cura circunstancialmente baseadas em nossa bondade.

Pegue a história de Jó. A Bíblia afirma que Jó era irrepreensível aos olhos de Deus (Jó 1: 8), mas Deus permitiu que tudo fosse tirado dele. Nós não recebemos recompensas na terra com base em nossa bondade. Deus escolhe nos usar em várias situações e depende de como reagimos nessas situações.

Cura pode e vem de Deus aqui na terra. No entanto, a cura pode e também vem de Deus para além desta terra e não é para nós determinar como e por que esses caminhos são escolhidos.

As igrejas não deveriam incluir em seus dogmas a falta de explicação, espiritual ou não, por que, como ou quando alguém morre? Nenhum de nós na terra está qualificado para falar em nome de Deus e do Seu raciocínio.

Quando Jesus passou, viu um homem cego de nascença. Seus discípulos perguntaram: “Rabino, quem pecou, ??esse homem ou seus pais, que nasceu cego?”

Jesus respondeu: “Nem este homem nem seus pais pecaram. Mas aconteceu para que as obras de Deus fossem exibidas nele (João 9: 1-3).

Uma questão que não pode ser respondida dentro dessas correntes de crença é como os descrentes e aqueles cujas vidas são aparentemente cheias de pecado recebem a cura de uma doença. Simplesmente não há fórmula para garantir a cura terrena.

VEJA TAMBÉM
Anne Graham louva a Deus após passar por cirurgia de câncer de mama

Apoiar e encorajar os membros de nossa congregação mostra-lhes mais de Deus e Sua graça e misericórdia do que tentar falar por Ele. Incentivá-los a estarem abertos a como Deus pretende usá-los pode oferecer esperança e propósito práticos em sua jornada.

Os entes queridos deixados para trás

Infelizmente, podem ocorrer danos espirituais aos entes queridos que sentem a condenação por sua comunidade de fé que sugerem que seus entes queridos não possuíam fé suficiente. Eles também podem sentir que a culpa foi transferida para eles.

O julgamento sentido pode transformar-se em ressentimento ou raiva em relação a Deus pela percepção injusta de que alguns que não servem a Deus sobreviveram ao diagnóstico de câncer.

O dano permanente causado por declarações imprecisas e teologia, mesmo que bem-intencionado, pode ter efeitos duradouros através das gerações familiares.

Precisamos estar em oração e pensados ??em nossos diálogos e conselhos para pacientes com câncer e seus entes queridos. Na maioria dos casos, ninguém luta para viver mais do que eles. Quando a pressão é colocada apenas sobre os ombros, os obstáculos para a cura podem parecer intransponíveis. Em vez de libertadores de tensão, conflitos e cicatrizes, vamos ser mordomos fiéis da graça, misericórdia e esperança de Deus durante esses tempos difíceis.

por: Rev. Percy McCray
traduzido e adaptado por: Pb. Thiago Dearo

Deixe a sua opinião!

Assine nossa Revista Online Gratuitamente: 

Email:

Nenhum spam garantido